Hiroshi Bogéa On line

Quem sabe, sabe

Na edição de 9 de novembro/2007, a coluna do poster no Diário do Pará publicou a seguinte nota:

Caserna mau humorada
O ambiente não está dos melhores nos quartéis paraenses. A insatisfação dos oficiais com o comandante geral da Policia Militar, coronel Luiz Cláudio Ruffeil, não foi arrefecida, como indicam as aparências. À coluna, no final da tarde de ontem, um oficial garantiu que a saída de Ruffeil do cargo é questão de “breves meses”. Se o comandante permanecer na função mais do que 160 dias, garante, haverá rebelião generalizada.

Passados exatos cem dias da informação, o que se vê nos quartéis é exatamente o que a nota antecipou: destemperos com riscos de agressões físicas entre oficiais, contra-ordens às ordens superiores, intrigas, fofocas e a hierarquia afundando.

O governo precisa resolver essa bronca, urgentemente, sob risco de não colocar ordem na casa. E a administração perder-se completamente por força de uma rebelião militar.

Post de 

4 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    20 de fevereiro de 2008 - 18:23 - 18:23
    Reply

    Obrigado, Lucio. Obrigado mesmo.
    Tento, todo dia, não pisar na bola.
    Abs

  2. Hiroshi Bogéa

    20 de fevereiro de 2008 - 18:22 - 18:22
    Reply

    Lembro do Rubens, foi meu Chefe de Redação quando estagiei em A Provincia, em 1976.
    E eu seu leitor e, mais ainda, admirador, menina.
    Abs

  3. Franssinete Florenzano

    20 de fevereiro de 2008 - 17:52 - 17:52
    Reply

    Hiro, esse mote do “Quem sabe, sabe” me lembra o Rubens Silva, coleguinha gente boa, da antiga A Província do Pará. Você é, sim, muito bem informado, e eu sua leitora e admiradora. Parabéns!

  4. Anonymous

    20 de fevereiro de 2008 - 14:38 - 14:38
    Reply

    É por isso que sou seu leitor desde quando escrevias para o Opinião, em Marabá. Hoje resido em Ananindeua trabalhando numa concessionária de veículos. Leio sua coluna no Diário sempre, sou daqueles leitores assíduos. Continue honrando esse compromisso com seus leitores.
    Parabéns!
    Lúcio Ribeiro Santos

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *