Hiroshi Bogéa On line

Quem fisga esse peixe?

 

Pela Rádio Clube AM de Marabá o blog toma conhecimento de que o secretário de Pesca do Estado, deputado licenciado Asdrubal Bentes (PMDB), pretende acionar a Justiça Federal com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) para impedir que o plebiscito para criação do Estado do Carajás seja realizado em todo o Estado.

Asdrubal defende a tese de que a consulta popular seja restrita às áreas signatárias do pedido de divisão territorial, no caso, Sul, Sudeste e Oeste paraenses.

Declaração de Asdrubal repercute quatro dias após o governador Simão Jatene manifestar-se favorável ao recurso do plebiscito, desde que “a população tenha total clareza do que vai escolher e suas reais consequências”, acrescentando não admitir que a consulta popular “esteja associado a qualquer tipo de processo eleitoral, para que esse expediente não seja contaminado por outros interesses”.

Asdrubal é auxiliar de primeiro escalão de governo.

Post de 

6 Comentários

  1. Luis Sergio Anders Cavalcante

    10 de maio de 2011 - 19:43 - 19:43
    Reply

    Jatene tá fazendo jogo de cena. Todos sabem que ele é contra o Estado de Carajás, pelo simples fato que, caso aconteça a aprovação, o Pará perderá muito dinheiro em termos de arrecadação de impostos diversos. O cerne principal da questão é este. Ademais, durante os governos tucanos(PSDB) de Almir Gagábriel/Jatene nossa região continuou sem ações efetivas do Palacio Cabanagem. Além do quê, o gabirú Almir e o então secretario Jatene foram os responsaveis diretos pela concessão da Celpa para o Grupo Rede em 98. A empresa (Celpa) foi avaliada em quase 800 milhões de reais e foi vendida pela metade do preço sem que, até hoje os mesmos, tenham prestado conta da dinheirama arrecadada. Em 10.05.11, Marabá-PA.

  2. João Dias Aragão

    10 de maio de 2011 - 19:11 - 19:11
    Reply

    O anônimo maio 9th, 2011 at 21:19, interpretou muito bem o alcance do texto constitucional, senão vejamos: “… população diretamente interessada, por meio de plebiscito realizado na mesma data e horário em cada um dos Estados…” . Que Estados?
    Penso que a ADIN do seu Asdrúbal vai sair pelo trombone. Como marabaense nato, faço parte da população interessada e voto pela não separação.

    Tijuca/Rio.

  3. Dário

    10 de maio de 2011 - 16:10 - 16:10
    Reply

    Acredito que se o Plebiscito for Realizado em todo estado o Não Vencerá, pois a elite de Belém vai jogar pesado.
    Sem falar que o povo da região metropolitana da Capital é suficiente para acabar com o sonho do estado de carajás e tapajós em si tratando de eleitorado.

    Pelo que estou vendo esse sonho vai Virar Pesadelo.

  4. ANONIMO

    10 de maio de 2011 - 08:55 - 8:55
    Reply

    Mas, seu Asdrúbal,na área que vai ser desmembrada, não é preciso fazer plesbicito ! O resultado já é conhecido ! Será que é o sr. que é muito inteligente ou os outros são muito burros ?

  5. Anônimo

    9 de maio de 2011 - 21:19 - 21:19
    Reply

    sim a outra região é interessada mas em não separar. ah se a gente fosse pobre nenhum problema né.

  6. Ulisses Silva Maia

    9 de maio de 2011 - 20:33 - 20:33
    Reply

    Nada mais justo que o ilustre Deputado Asdrúbel ingresse, pessoalmente ou através de um legitimado, com uma Ação Judicial afim de ver o plebiscito ser realizado apenas na região de Carajás. Afinal, o texto constitucional é bem claro quando fala em “população diretamente interessada”. Ora, se a outra região não tem interesse na separação, então essa população não é “diretamente interessada”. Agora só há um detalhe: para o ingresso de uma ADI deve haver a presença de requisitos. Penso que o requisito fundamental é a norma a ser atacada. Se o projeto que autoriza o plebiscito não especifica qual é a população diretamente interessada, então isso deve vir pela instrução do TSE. Essa sim, acredito, pode ser atacada por meio de uma ADI. E, só para registrar, uma ADI só pode ser promovida no STF.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *