Qual futuro do PSD no Pará?

O texto poderia começar com a famosa frase  “E o último que sair, apague a luz”, escrita sempre que se via  adesivos de um slogan do governo militar de 64:   -“Brasil, ame-o ou deixe-o”.

Caso se confirmem as debandadas de políticos do PSD, no Pará, o futuro da legenda  se configura indo para o ostracismo.

Com  a migração para o PL dos deputados Joaquim Passarinho e Delegado Eder Mauro, o Partido Social Democrático está com seu futuro incerto, se for considerado o tamanho de filiados com poder de voto.

Significativamente, o partido perderá musculatura eleitoral.

Poderá vir a ser mais uma legenda nanica.

O que se comenta nos meios políticos é que o PSD só tem uma alternativa, para continuar sendo considerada agremiação com bancada forte no Pará: confirmar a filiação do ex-governador Simão Jatene, que recebeu convite também para ingressar no Podemos.

Caso o ex-deputado estadual Márcio Miranda decida sair do DEM, como está sendo aventada, existe outra possibilidade do partido receber esta filiação.

Tudo, no entanto, no campo de conjecturar.

A conferir