Hiroshi Bogéa On line

Psol promete fazer “oposição” ao governo Salame

 

O Psol publicou nota declarando que fará oposição ao governo João Salame.

A nota do partido.

 

1- A vitória de João Salame (PPS) pela coligação composta pelo PT, PMDB, PDT, PHS, PV, não representa a mudança de verdade tão propalada no período eleitoral. Consideramos o mero continuísmo arragaido pela forte participação de representantes das velhas oligarquias, de partidos mensaleiros e de lideranças que se omitiram nos últimos quatro anos no desastroso governo Maurino Magalhães (PR).
2- Portanto, o PSOL mesmo sem representação na Câmara Municipal de Marabá, será um partido vigilante, de oposição ao Governo do PPS/PT e PMDB, por considerarmos que o Governo de João Salamer epresentará de fato o continuísmo das práticas autoritárias com base na sua composição que está sendo realizada numa coalizão que atende os interesses dos políticos que se perpetuam no poder em Marabá.
3- O PSOL defende a ruptura do contrato da empresa Leão Ambiental e a prefeitura no valor anual de R$ 21.851.580,00 milhões com uma média de pagamentos por mês de R$ 1.820.965,00.
4- Defendemos ainda as famílias que trabalham na produção de cerâmicas na folha 33 ameaçadas de despejo pelo empresário Zucatelli atual presidente do DEM;
5- Por isso, o PSOL expressa sua posição em relação ao governo de João Salame, Consideramos decisiva a construção de uma frente de ação, política e social, que busque articular para a luta os movimentos e as forças sociais do campo e da cidade por uma cidade sustentável.
——————
Nota do blog: amanhã, o poster destrinchará essa nota risível dos “socialistas” marabaenses
Post de 

3 Comentários

  1. Wendel Bezerra

    7 de dezembro de 2012 - 22:06 - 22:06
    Reply

    Todo partido tem seus problemas, no caso do PSOL não seria diferente. Só quero aqui deixar claro que o PSOL é um partido de correntes políticas que aglutina grupos com pensamento diferentes. Alguns mais radicais e outros mais centralizados numa luta por um bem comum. Identifico-me com a segunda opção, onde militamos em torno de causas concretas para o bem estar da sociedade na qual vivemos. Defendemos um socialismo real que se preocupa com a maioria da sociedade. A oposição por oposição faz parte da prática de alguns dirigentes do PSOL, que como mostra a nota, ainda vivem na época da guerra fria. Sou filiado do PSOL e defendo uma Unidade dos Trabalhadores em torno da luta por condições mais dignas de trabalho, de saúde e de qualidade de vida. Por tudo isso, desejamos sorte ao novo governo. Que seja um governo pautado nos principais princípios da administração pública, ou seja, com legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

  2. Diogo Margonar

    4 de dezembro de 2012 - 08:56 - 8:56
    Reply

    Até onde me lembro foi o PSOL em nível nacional que, no Congresso Nacional, arquivou um projeto que poderia criar uma Zona Tributária de Exportação para Marabá, destruindo mais um fomentador de empregos. Para min, a atuação deste partido se resume à defesa do casamento homossexual, legalização das drogas, do aborto, intolerância aos evangélicos e católicos, ataque à empresas e uma prancheta cubana de desenvolvimento…Enfim, coisas que não representam a demanda da grande maioria do povo brasileiro.

  3. doidão de raiva

    3 de dezembro de 2012 - 20:52 - 20:52
    Reply

    É muito fácil, ou melhor é facílimo fazer oposição se escondendo atrás de paredes e bandeiras partidárias. Hiroshi, se por acaso você tiver disponível em seus arquivos alguma, sequer uma foto deste reprsentantes do PSOL – Marabá maifestando-se em algum ponto desta cidade contra os governos anteriores, por favor públique, pois estes que se dizem socialistas e defensores da comunidade em geral, são nada menos do que um bando de CAPITALISTAS enrustidos e defensores apenas de seus bolsos.
    Poderiam ao menos esperar o início do mandato do JS, para iniciarem ao rídiculo papel de começarem oposição fajuta. Isso mesmo oposição fajuta!
    Faço questionamentos aos membros da diretoria do PSOL: Se por acaso algum dia eles chegarem ao poder, que é isso que querem. Como governarão? Farão o que de diferente? Serão somente eles no governo?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *