Hiroshi Bogéa On line

PSDB Diversidade toma posse

 

 

Quem informa é a jornalista Keila Ferreira, da assessoria de imprensa do PSDB do Pará:

 

 

As diretorias Estadual e Municipal do PSDB Diversidade tomam posse na tarde desta sexta-feira (9), às 17 horas, no auditório principal do Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O evento contará com a presença do Governador Simão Jatene, presidente de honra do partido, do deputado federal Zenaldo Coutinho, presidente do Diretório Estadual do PSDB e Fabrício Gama, que está à frente do Diretório Municipal. Também estarão presentes no evento representantes LGBT’s de vários municípios paraenses, representantes do Diversidade Tucana de outros estados, além do presidente nacional do Núcleo, Marcos Fernandes.

Cerca de 40 representantes Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais de todos os níveis de escolaridade e classes sociais, militantes e ativistas da causa LGBT do Pará, simpatizantes e partidários do PSDB, resolveram unir forças e criar em Belém e no Pará, o Diversidade Tucana, com o apoio dos Presidentes Municipal e Estadual, Fabrício Gama e Zenaldo Coutinho, bem como do Governador Simão Jatene.

O Núcleo foi criado oficialmente no dia 23 de janeiro desse ano, com a eleição das chapas que disputavam a diretoria. Samuel Sardinha ficará à frente do diretório estadual e Bruna Lorrane será presidente do diretório municipal do PSDB Diversidade, que tem como missão inserir os conceitos sobre diversidade sexual dentro da legenda. Além disso, o Núcleo serve de referência para as questões relativas à população LGBT, na construção dos planos de governo dos candidatos do partido e para gestores comprometidos com os Direitos Humanos e Cidadania da população brasileira. O novo diretório tem ainda como objetivo articular o desenvolvimento e a implementação de políticas públicas voltadas à diversidade sexual nas administrações geridas pelo PSDB.

Post de 

3 Comentários

  1. Miritiba

    10 de março de 2012 - 19:03 - 19:03
    Reply

    Olha, caro Hiroshi, no tempo de Aloísio Chaves, Alacid Nunes e depois Jader Barbalho, gays, lésbicas, travestis, e demais com orientações sexuais distintas e diversas, nunca tiveram espaço em convenções partidárias. Nem iam. Hoje, por representarem milhares de votos, estão enquadrados em “Diversidades”. E fazem a diferença. Basta ver as passeatas que promovem para reforçar o orgulho que possuem.
    Mas nós aqui em Marabá, sabemos que eles não representam quase nada, são desorganizados, de pouca cultura geral, sofrem preconceito da grande massa de evangélicos(que estão até dispostos a curá-los), dos católicos (abalados pelos escandalos dos padres pedófilos) e dos homofóbicos, que se puderem, enforcam todos eles num pé de miritiba.

  2. Flávio Sacramento

    6 de março de 2012 - 07:16 - 7:16
    Reply

    Quer dizer Hiroshi que a plumagem agora é cor de rosa, mais que tucaninho pervertido em?

  3. Mestre Chico Barão

    6 de março de 2012 - 07:13 - 7:13
    Reply

    Hiroshi

    Ao aceitar uma dica do Walter Bandeira resolvi escrever o livro “BOTO UMA BONECA COR DE ROSA” como seria um livro onde o boto queria ser o representante LGBT da Amazônia tive que fazer uma pesquisa sobre essa classe e assim conheci homens e mulheres envolvidos em nessa luta por seus direitos que ficaram com meu email para sugestões, tempos depois eu recebi um email e um link , coloco o texto e o link abaixo para você avaliar se os nomes das pessoas no comando do PSDB diversidades foi uma escolha certa ou não
    ————————————————————————————————————
    Prezado Mestre Chico Barão

    Como eu sei que você é uma pessoa reconhecida com defensora dos direitos da classe LGBT apesar de não estar incluído nela, peço sua ajuda na divulgação desse ato que sofreu o Beto no Bar da Ângela onde ele foi espancado e quem tinha obrigação de sair em sua defesa se omitiu!

    Te mando uma parte e o link para você saber tudo na integra!

    “””O delegado, Dr. Pedro da Silva Monteiro, que estava acompanhando o caso, sequer olhou em meu rosto, e ouviu apenas a versão dos policiais. A todo momento, tentava criar circunstâncias para que eu me descontrolasse e eles pudessem me enquadrar em alguma coisa. No entanto, sei dos meus direitos e deveres e em nenhum momento agredi física ou verbalmente nenhuma das autoridades policiais que ali estavam. Quando percebi a insistência em me provocar, notei que se tratava de uma atitude corporativista do delegado, tentando a todo custo proteger a má conduta dos dois policiais civis.
    O coordenador de Livre Orientação Sexual da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Samuel Sardinha, apesar de ter comparecido ao local logo após eu ter ligado para informá-lo do ocorrido, infelizmente não me acompanhou e se limitou a dizer que ia ficar “muito feito” para o estado se a denúncia fosse feita, uma vez que seria a imagem do Pará que seria comprometida por conta do ocorrido. Nesse momento, respondi ao coordenador que eu levaria o caso às últimas consequências, pois o meu direito individual também se reflete no direito de uma comunidade inteira. Me mostrei surpreso com o posicionamento do coordenador, pois a função da Coordenadoria de Livre Orientação Sexual é justamente fazer a relação com as outras secretarias do estado para que esse tipo de coisa não aconteça.”””

    Link para ler postagem completa e seus comentários.

    http://paradiversidade.com.br/2010/?p=6928

    Agradeço sua compreensão e ajuda!

    Suzy D4
    ———————————————————————————————————-

    Parece que é mais uma “errada” tal escolha, da para ver como o Sardinha se coloca entre sua classe e seu emprego!

    Nada tenho contra este senhor , porem vejo com cautela sua escolha pela imagem que quem me mandou o email faz dele!

    MCB

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *