Projeto do ex-deputado Beto Salame de federalização da Estrada do Rio Perto pode ser votado no plenário do Senado

Apresentado na Câmara Federal pelo então deputado federal Beto Salame, em 2016, o projeto de lei 5.621 aguarda agora somente a votação,  e aprovação, em plenário do Senado  para federalizar a Estrada do Rio Preto.

Nesse sentido, o ex-deputado federal Beto Salame esteve no gabinete do senador Paulo Rocha (PT) solicitando empenho dele junto à mesa diretora do Senado para colocar em votação a matéria, que já tramitou em todas as comissões da Casa.

Quando exercia o mandato de deputado, em Brasília, Beto Salame recebeu comissões de lideranças dos distritos cortados pela Estrada do Rio Preto, hoje extensão da BR-222, apelando para que ele apresentasse projeto de lei transferindo a administração da estrada estadual para esfera federal.

E assim foi feito.

Salame apressou a tramitação nas comissões da Câmara Federal, até receber a aprovação final, em plenário.

Como a matéria precisa ser aprovada também pelo Senado, nesta terça-feira, 3, Beto Salame esteve com o Senador Paulo Rocha, reivindicando que seja colocado em votação o Projeto de Lei da Federalização da Estrada do Rio Preto.

Paulo Rocha prometeu interceder para apressar a aprovação.

 

“O projeto está pronto pra ser votado no plenário do Senado e, se aprovado, ir pra sanção presidencial”, revela Salame, em contato telefônico com o blogueiro.

A Estrada do Rio Preto é um desejo antigo dos mais de 150 mil habitantes da região, que abrange os municípios de Marabá, Itupiranga, Novo Repartimento e São Félix do Xingu.

“Durante anos, os moradores dos mais de 150 assentamentos, dezenas de vilas e povoados, de propriedades rurais existentes na rota da Estrada do Rio Preto sonham com a federalização. Ao longo das últimas décadas, várias tentativas foram feitas para que a via passasse à administração federal, sem sucesso. Agora, estamos na reta final dessa luta histórica”, conta Beto Salame.

A Estrada do Rio Preto é uma extensão da rodovia BR-222, que liga Fortaleza (CE) ao sudeste do Pará.

Na década de 1970, quando a BR-222 foi planejada, o projeto previa que seguiria além de Marabá, até se encontrar com a BR-158, que liga Redenção (PA) ao Mato Grosso. Mas o trecho final ficou só no papel e os habitantes da região enfrentam sérios problemas, sobretudo no inverno.

“Só o Governo Federal tem recurso suficiente pra pavimentar 200 km de rodovia, por isso é fundamental a aprovação desse projeto de federalização, e a partir disso lutarmos pelo recurso junto ao Dnit para o asfaltamento”, finaliza Salame, que aparece na foto  no gabinete do senador Paulo Rocha.