Hiroshi Bogéa On line

Professores do Pará mantém agenda de greve

 

 

Leitora Marluce Azevedo enviou emeio,  às 15:49,  dizendo-se  frustrada com o blog. Apenas uma linha resume toda indignação da fiel visitante:

 

Puxa, Hiroshi. Hoje fiquei decepcionada com seu Blog. Não foi postada nenhuma notinha sobre a greve nacional.

 

Nota do Blog: Querida Marluce, perdão. Mil perdões. Você está coberta de razão. A falha deve ser creditada ao dia muito agitado do poster, sem tempo até para acessar sites e a blogosfera. Agora deu aliviada, e estamos retomando as rédeas da redação.

A adesão dos professores paraenses  à paralisação nacional de 24 horas das escolas públicas foi confirmada ainda durante reunião com representantes do governo estadual, realizada  dia 6 de março,  no Centro Integrado de Governo (CIG). Como se sabe, a mobilização  objetiva assegurar  o reajuste salarial dos profissionais da educação com base no piso mínimo estabelecido pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos – Dieese, de R$ 1.940,00.

Esta manhã, em Belém, cerca de 700 trabalhadores em educação decidiram seguir a agenda nacional do movimento, que deverá prosseguir até o final de semana.

Post de 

10 Comentários

  1. anonimo

    17 de março de 2012 - 12:10 - 12:10
    Reply

    Bezerra infelizmente o nivel dos professores e o seu quando quizer saber quem eu sou coloca um meio em que eu possa me comunicar contigo.
    Trabalhei 40 anos na iniciativa privada embora formado em nivel superior nunca quiz ser barnabe pois não comungo com a ideia de que o importante e se dar bem ideia esta que infelizmente faz parte da maior parte do funcionalismo publico.

  2. Bezerra Lima

    16 de março de 2012 - 16:45 - 16:45
    Reply

    Então porque você que é tão bom não sai de trás do anonimato e mostra a tua cara!
    Anônimo de má fé! Com certeza deve ser algum miserável que não conhece a educação! É um mero observador e impotente!

  3. anonimo

    15 de março de 2012 - 17:05 - 17:05
    Reply

    Mosavelino acredito que ganhar pouco não e motivo para se fazer um trabalho de pessima qualidade.Qualquer trabalhador da iniciativa privada que não e acobertada por uma estabilidade imoral como a que existe no serviço publico quando sente que esta ganhando pouco e acha que tem capacidade para ganhar mais muda de emprego e ate de profissão.

  4. Mosavelino

    15 de março de 2012 - 10:56 - 10:56
    Reply

    Ao anonimo das 8:10, caro colega não sou prof. mais reconheço a importância dessa classe para a sociedade, agora te pergunto onde vc ja viu trabalho bem feito com trabalhadores ganhando miséria, que é isso que o salário do prof é neste país, onde educação nunca foi prioridade,que pena que vc se manifeste contra uma categoria que defende uma causa justa e digna, mais tudo bem respeito sua opinião, agora questão de qualidadede ensino também teria que ser cobrado de politicos vagabundos desse país que não estão nem um pouco preocupados com educação do povo que paga por ela e recebe de pessima qualidade estes sim deveriam ser responsabilizados, mais isso ninguem fala

  5. anonimo

    15 de março de 2012 - 08:10 - 8:10
    Reply

    Hiroshi não e xenofobia pois basta verificar as ultimas greves que estes professores fizeram nos ultimos anos tratando com total irresponsabilidade os alunos a quem deveriam dar bons exemplos e a unica coisa que recebem e um ensino de pessima qualidade.
    Os professores do Para e Maraba tiveram garantidos os piso,portanto estão fazendo uma greve por greve.Infelizmente quando estes profissionais fazem reunião a unica coisa que não entra em pauta e melhoria de ensino e sim quando vão fazer nova greve.

  6. Pagu

    14 de março de 2012 - 21:17 - 21:17
    Reply

    Professor não é coitadinho, é um profissional como um médico, um engenheiro, um jornalista.
    Há séculos é tratado como escravo, que não possui direito de reinvindicar, de ser tratado com dignidade.
    Hora de olhar o professor como formador de opinião.
    Pode mudar os rumos de uma eleição, não menosprezem essa categoria. Politicos devem pensar bem nisso.

  7. anonomo

    14 de março de 2012 - 19:49 - 19:49
    Reply

    mercenarios numca fizeram greve por melhorias no ensino ou falta de material,transporte escolar ou merenda

  8. Saudade de Marabá

    14 de março de 2012 - 18:01 - 18:01
    Reply

    Que pena que ainda existem pessoas que falam mal das reivindicações justa dos professores. Sabe Hiroshi, não sou professora, mas sempre vi esses profissionais como a mais importante categoria. Sem eles, não existiriam médicos, advogados, jornalistas…Mas vivemos em um país que as coisas que menos importam são: Educação, Saúde, Segurança…O que vale aqui é a Lei de Gérson.

  9. anonimo

    14 de março de 2012 - 17:12 - 17:12
    Reply

    Fazem greve quarta,quinta e sexta como sabado não tem expediente acabam tirando uma mini ferias. Na segunda voltam as salas de aula e enganam os alunos que estão ensinando e os alunos fingem que estão aprendendo.

    • Hiroshi Bogéa

      14 de março de 2012 - 17:46 - 17:46
      Reply

      Anônimo das 17:12: a greve dos professores é justa. Eles lutam por um direito que lhes é devido, o piso nacional. Deixa desse discurso xenófobo, gente fina!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *