Presidente da Coomigasp acusada de cobrar indevidamente débitos de antigos garimpeiros para suposto recebimento de indenização

O período eleitoral nem bem começou e a velha cantiga pra boi dormir volta a ser entoada.

Agora, na voz da presidente da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada – Coomigasp, que estaria cobrando indevidamente prestações atrasadas de associados da entidade sob a promessa de que, somente quitados em suas obrigações estatutárias, os sócios receberão a tal indenização  de sobras de ouro retidos na década de 80 pelo governo federal.

Deuzita Rodrigues da Cruz Viana (foto), eleita a primeira mulher presidente da Coomigasp, está sob fogo cerrado, já que diretores da cooperativa a acusam de ferir o regimento da associação em benefício próprio.

Há denúncias de que a dirigente anda no garimpo cercada de jagunços e que estes não permitem o ingresso dos dirigentes, na sede da entidade, em Serra Pelada.

Diretores da cooperativa começaram a se mobilizar nas últimas horas com objetivo de denunciar Deuzita, junto ao Ministério Público e concedendo entrevistas aos meios de comunicação.

Os denunciantes alertam os antigos garimpeiros portadores da antigas carteirinhas de cor amarela para que não paguem nada à Coomigasp.

“Se um dia o governo federal decidir pagar a sobra de ouro a quem tem direito, isto será feito sem que ninguém tenha que pagar nenhuma mensalidade atrasada de associado”, disse um informante.

Filiada ao partido Patriotas,  Deuzita da Cruz Viana está sendo acusada de fazer cobranças indevidas de garimpeiros para uso suspeito.

Diz um denunciante que a residente da Coomigasp é declarada pré-candidata a deputado federal, pelo Estado do Tocantins, razão maior para tentar “fazer caixa de campanha enganando pobres garimpeiros”, acusa.

Deuzita  tem domicílio eleitoral no distrito de Macaúba, município de Araguatins (TO).

O blogueiro tentou ouvir a presidente da Coomigasp, sem sucesso.

Quem tiver contato da dirigente da cooperativa, favor informar ao blog.