Prefeitura quita previdência dos servidores: R$ 2,5 milhões

Publicado em 26 de janeiro de 2013

 

 

Em menos de trinta dias de governo, João Salame  tem cumprido uma agenda disciplinada de quitação de débitos objetivando organizar administrativamente a  prefeitura de Marabá.

Nesta sexta-feira, 25, ele determinou o pagamento  da elevada quantia de R$ 2.498.896,57  de contribuição previdenciária que havia sido descontado da folha dos servidores e não repassada ao  Ipasemar. O pagamento é referente aos meses de outubro, novembro, dezembro e 13º. Salário dos funcionários da Educação.

Esse débito, agora quitado, gerou uma das cinco restrições no Cauc, impossibilitando a prefeitura de assinar convênios para a liberação de recursos.

Mas outras broncas ainda persistem, todas  originárias da gestão anterior, como débitos da previdência descontada dos servidores de outras secretarias, inclusive Saúde, que totalizam  R$ 1.644.650, 59, que não foram repassados ao Instituto de  Previdência Municipal.

João Salame determinou economia de guerra para ver se consegue pagar essa pendência até o final de janeiro, retirando mais uma restrição do Cauc.

Além dessa pendência do Ipasemar, existe um débito de R$ 10 milhões referente a parte patronal previdenciária, que  a prefeitura  negociará  para parcelar.

Aos 25 dias de administração, Salame também já conseguiu quitar o mês de novembro dos servidores.

Pagou dois meses de vale-alimentação dos servidores no valor de R$ 2,6 milhões.

E, até dia 31, deverá efetuar o salário de janeiro de todos os servidores.

Sem contar que deverá conseguir provisionar as primeiras parcelas de 1/12 avos do 13º salário a ser pago em 2013 e o Fundo de Enchente, reserva técnica financeira para garantir maior mobilidade da Defesa Civil no atendimento aos prováveis desalojados da cheia que se anuncia.