Hiroshi Bogéa On line

Prefeitura e MP definem ações para saúde

Em duas reuniões realizadas nesta quarta e quinta-feira (16/17-03), a Prefeitura de Marabá e o Ministério Público Estadual discutiram as demandas e soluções para melhorar o setor de saúde no município. Ficou acertado que serão feitas uma série de adequações e mudanças no Hospital Municipal (HMM), onde a demanda de atendimento é muito grande e enfrenta uma série de problemas por conta da falta de investimentos ao longo dos anos.

 

Também haverá estruturação funcional dos centros de saúde, assim como no Hospital Materno Infantil (HMI). O objetivo é melhorar o atendimento, a funcionalidade e estrutura das casas de saúde, para garantir a população um serviço de melhor qualidade.

 

Participaram da reunião o prefeito Maurino Magalhães de Lima; a promotora Mayanna Silva de Souza Queiroz;o médico do MP, Allan Henrique Rendeiro;  a secretária de Saúde, Joelma Sarmento;  médico Fernando Monteiro, representante do Conselho Regional de Medicina; e os diretores do HMM, HMI e Licitação.

 

Entre as mudanças a serem adotadas estão o melhoramento da regulação, para evitar que o município atenda pacientes de outros locais e não receba nada por isso; triagem no atendimento; melhorar a recepção, para que a população seja melhor atendida; transferir o atendimento pediátrico para o novo bloco, com a parte administrativa saindo de lá e retornando para a antiga sala; agilização no processo de licitação, para que não haja mais falta de medicamento; e melhorar o sistema de almoxarifado para que haja melhor controle da saída e entrada de materiais e medicamentos.

 

Outra medida, inclusive sugerida pelo médico do MP, Allan Henrique Rendeiro, é que o município passe a exigir o comprovante de residência para o atendimento nas casas de saúde. Com isso, o município vai ter melhor controle sobre a demanda do hospital, sabendo quem é ou não do município e possa receber por isso. Para isso, será feita ampla campanha de divulgação na mídia e distribuição de cartilha, orientando a população sobre a nova medida.

 

“Em Minas Gerais, ninguém atende em hospitais públicos se a pessoas não apresentar comprovante de residência”, exemplificou Allan.

 

Quanto à qualidade de atendimento, o prefeito adiantou que está estudando a viabilidade de terceirizar a gestão do hospital, a exemplo do que é feito com o Hospital Regional. Ele disse que está vendo o exemplo de Redenção, no sul do Pará, e de outros locais, para alicerçar essa possibilidade.

 

O gestor destacou a importância da reunião, elogiando  a ação do MP, frisando que isso é muito importante nesse processo em busca de melhorar o setor de saúde. Ele observa que a situação chegou a esse ponto, porque faltou investimento na área ao longo dos anos, mas que agora, no seu governo, será feito tudo o que estiver ao seu alcance, para mudar essa realidade. “Agradeço toda colaboração nesse sentido. Juntos, podemos melhorar esse setor, que hoje não é deficiente só em Marabá, mas em quase todo o País”

 

Ao final da reunião, foi feito um documento com todas as ações definidas a médio e longo prazo com o objetivo de melhorar o setor no município. Veja abaixo todas as ações e melhorias sugeridas na reunião. Conforme acordado, a cada 60 dias será feita uma nova reunião, para expor o que já foi feito e o que está sendo providenciado do que foi definido. Também será criada uma comissão para acompanhar esse processo.

 

Ações

 

1-Medicamentos: controle informatizado adequado;

Comissão de Licitação: priorizar projetos e medicamentos;

Ponto Eletrônico: cumprimento dos horários para todos os servidores e corpo clínico;

Divulgação: cartilha e meios de comunicação em geral;

Manter auditoria externa periódica;

 

2-Postos de Saúde: Fortalecimento

 

Reforma (buscar apoio Vale/Alpa);

Corpo clínico para todos os turnos;

Garantia do suprimento das farmácias;

Aquisição de equipamentos e materiais necessários;

Escalas visíveis ao público enviando cópias a Secretaria de Saúde, Câmara Municipal e Ministério Público;

Garantia do cumprimento dos Programas (diabetes, hipertensão, PCCU, vacinas, pré-natal, etc.);

Informatização;

Atendimento de 07h às 19h com três turnos de acordo com a demanda;

Uniformização de vestuários dos funcionários;

Garantia de segurança.

 

3 – Hospital Municipal de Marabá:

 

Central de Regulação (TFD e ressarcimento);

Triagem para os atendimentos ambulatoriais;

Melhoraria predial do pronto socorro, recepção e sala de cuidados especiais;

Direito à Informação dos usuários;

Capacitar a recepção;

Criação de Ouvidoria Interna;

Escalas visíveis ao público enviando cópias Secretaria de Saúde, Câmara Municipal e  Ministério Público;

Controle do fluxo dos usuários;

Melhorar a recepção e acomodações para os usuários;

Criar almoxarifado com suprimento suficiente dos medicamentos;

Humanização do atendimento;

Posto do SAMU;

Realocação da pediatria;

Aquisição de equipamentos para o centro cirúrgico e sala de cuidados especiais;

Adequação sanitária;

Implantar ponto eletrônico;

Adequar os materiais/medicamentos para viabilizar a realização de cirurgias eletivas;

Colocar telas nas janelas;

Prontuários e arquivos informatizados;

Manutenção e aquisição de centrais de ar;

Adequar os recursos humanos de acordo com a legislação;

Instalação de Comissão de Ética, Revisão de Prontuário, Óbitos e Prevenção de Acidentes;

Uniformização de vestuários dos funcionários;

Garantia de segurança;

Melhoria do Pronto Socorro: macas, cadeiras para acompanhante, cadeiras de roda, colchonetes, rouparia, pintura, fechamento dos boxes, condicionamento de ar.

 

4 – Hospital Materno Infantil

 

Pasteurização do Leite;

Implantação microbiologia;

Funcionamento da UTI neonatal;

Criação do Projeto Mãe-canguru;

Manutenção dos equipamentos e do prédio;

Adequação da Triagem e Central de Regulação;

Informatização;

Instalação de Comissão de Ética, Revisão de Prontuário, Óbitos e Prevenção de Acidentes;

Uniformização de vestuários dos funcionários;

Garantia de segurança.

 

Fonte: Ascom

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *