Hiroshi Bogéa On line

Projeto de sustentabilidade da prefeitura de Marabá mecaniza áreas de assentamento

 

Piquiá 2
Mecanização de áreas do PA Piquiá I

 

Piquiá 3

A Secretaria de Agricultura de Marabá deu início ao Plano Agroflorestal Sustentável.

Programa consiste em mecanização da terra, correção de solo, oferta e plantio de mudas.

Plano começou pelo PA Piquiá I, na Vila Sororó, beneficiando vinte famílias, e prosseguirá em outras áreas, sempre contando com a participação de cooperativas criadas nos próprios assentamentos.

JorgeIdealizado pelo secretário Jorge Bichara (foto) o Plano Agroflorestal Sustentável coloca nas áreas de assentados trator e complementos, além de pessoal técnico, para orientação e plantio.

“Este programa, em verdade, foi uma incumbência que recebi do prefeito João Salame, ao assumir a Seagri, de trabalhar programas sociais de interesse das famílias dos assentamentos, voltados à produção e à melhoria da vida de cada pequeno proprietário. Aproveitamos a missão para mesclar à produção de alimentos, o replantio das áreas degragadas. E é o que iniciamos, agora, com este programa”, explica o secretário.

No Piquiá I a terra está sendo preparada para receber mudas de mandioca e açaí.

“Trabalhamos inicialmente o que chamamos de “cultura rápida”, que são a  mandioca e o milho. Posteriormente, investiremos na chamada “cultura perene”, espalhando plantio de  cupuaçu e  açaí precoce”, conta Bichara.

 

Na terceira  etapa do programa,conforme explica Jorge, a Seagri investira na produção florestal com plantio de mudas nativas da região, como cedro, mogno, jatobá, ipê, e outras.

A secretaria de Agricultura de Marabá firmou parceria com os interessados no projeto objetivando  alavancar a produção de farinha do município, bem como aumentar as áreas de açaizais, preocupando-se assim com o reflorestamento de áreas antes destinadas apenas aos pastos.

Até marco de 2014, seguindo planejamento dos técnicos da Seagri, haverá a primeira colheita da atual plantação, abrindo-se, em seguida, o trabalho para a produção de farinha.

“É possível produzir farinha em larga escala. Este programa visa este fim, com propósito da gente oferecer o produto a população sem depender da compra de farinha de outros lugares, chegando aqui quase  com preços aviltantes”, garante Jorge Bichara.

Para o ano de 2014, a secretaria de Agricultura cadastrou oitenta famílias, nos diversos Projetos de Assentamento espalhados pelo município.

Paralelamente ao trabalho de preparação do solo e plantio, a Seagri estará implantando o banco de informação da secretaria, com as coordenadas georreferenciadas de cada assentamento beneficiado pelo programa, usando o GPS como principal ferramenta.

Para desenvolver o programa nas áreas cadastradas em tempo que permita a conciliação do plantio com o período de chuvas, sincronização necessária para o sucesso da safra, a Seagri precisaria de oito tratores. Conseguiu até agora dois, devido às dificuldades financeiras da prefeitura.

“Estamos ainda fazendo articulações  junto ao prefeito para que seja feito um esforço no sentido da gente colocar oito tratores nos assentamentos, porque acreditamos no sucesso desse programa agrícola e os benefícios que ele tratá ao home  do campo, gerando alimentos e o reflorestamento de áreas degradadas, um dos objetivos desse governo que tem preocupações, também, ambientais”, finaliza Bichara.

As áreas beneficiadas com  mecanização, além de gradeadas, receberão aplicação de adubo e cálcio, para retirar a acidez do solo. “Esse trabalho será desenvolvido, depois que for feita a análise de solo de cada loteamento, explica o técnico agrícola Marco  de Jesus Miranda Oliveira, Coordenador de Mecanização do Plano Agroflorestal Sustentável.

José Castro e dona Terezinha Castro,  é um dos casais contemplados com a mecanização.

A prefeitura está investindo em dois hectares de nosso  lote, um grande sonho de todo agricultor. Eu e minha esposa estamos muito  satisfeitos com essa parceria, porque sem  a correção do solo o plantio é inviável, por isso a parceria veio a calhar. Nunca um prefeito tinha feito isso em Marabá, só agora. E pra nós isso é uma surpresa e uma graça de Deus”, revela José Castro, sorridente, ao lado de sua esposa.

SR JOSÉ CASTRO E ESPOSA DONA TEREZINHA 02

 

Casal   José/Terezinha Castro: - "Nunca um prefeito tinha feito isso em Marabá, só agora".
Casal José/Terezinha Castro: – “Nunca um prefeito tinha feito isso em Marabá, só agora”.

Fotos: Alex Nery

Post de 

1 Comentário

  1. jonas da cunha morgado

    10 de abril de 2018 - 20:08 - 20:08
    Reply

    gostaria de saber se esses projetos sao destinados so pra associaçoes, ou pessoas interressadas tambem podem participar.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *