Preciosidades do sistema prisional

 

 

Prisão de banqueiro no Brasil é coisa rara.

Manutenção de banqueiro preso na cadeia por mais de 48 horas é algo jamais visto.

Pois na semana que passou as facilidades das leis brasileiras beneficiaram também bandidos de alta rotatividade criminosos, auferindo lucros a um sobrinho de Fernandinho Beira-Mar, conhecido no mundo do crime carioca como Jean Junior da Costa Oliveira.

O rapaz permaneceu na cadeia pouco mais de 48 horas, liberado, segundo a juíza responsável pelo caso, por não ter sido preso em flagrante, não obstante o criminoso ter sido reconhecido por um policial na hora em que estava havendo o entrevero do sequestro  a um ônibus, na avenida Presidente Vargas, no Rio.