Pré-candidato a deputado estadual, vereador Ilker Moraes fala sobre as prioridades de seu mandato, caso seja eleito

Vereador de Marabá em seu terceiro mandato, Ilker Moraes disputa uma vaga à Assembleia Legislativa do Estado tendo algumas bandeiras importantes nas prioridades de seu mandato, caso consiga se eleger.

Numa conversa de mais de uma hora, o blog construiu uma entrevista com o pré-candidato a deputado estadual, abordando diversos assuntos.

A entrevista será publicada por etapas, começando pelos temas abordados nesta postagem.

————————–

 

Sua atuação parlamentar dentro da CMM revela ao longo de seus três mandatos, preocupação com as questões sociais – e isto, invariavelmente, tem colocado sua atuação em oposição a algumas medidas ou ações não tomadas pelo governo municipal.  Resultado é que parte da população apoia essa sua postura oposicionista. Caso o senhor consiga se eleger deputado estadual, a postura de fiscalizador que tem revelado no município será estendida ao governo do Estado?

Primeiramente, gostaria de esclarecer que o meu mandato não é marcado pela simples ideia de ser oposição ao prefeito municipal. Prefiro dizer que o meu mandato é independente.  Quem me acompanha pelas redes sociais ou queira me conhecer melhor é só pesquisar que vão perceber que sempre me posicionei na defesa dos direitos da sociedade.

Defendi os feirantes da Marabá Pioneira e dos outros bairros porque ter uma feira no bairro é bom para população e gera renda para centenas de famílias; defendi os moradores das periferias quando o prefeito queria expulsá-los sem dar nenhuma alternativa de moradia. Defendi os direitos dos servidores público quando o prefeito aprovou leis que prejudicaram as remunerações salariais do servidores; denunciei a farra dos plantões e descaso na saúde e também denunciei o contrato do transporte público coletivo (ônibus) que não está sendo cumprido.

Por fim, posso dizer que quem manda no meu mandato não é o prefeito.  Eu tenho autonomia no mandato, sempre junto com os anseios da população. Isto me deixa tranquilo e posso andar de cabeça erguida nos quatro cantos deste município e do estado, sempre aberto ao diálogo e acolhendo as sugestões para melhorar a minha caminhada política. Independente de qualquer cargo no legislativo teremos sempre o compromisso de fiscalizar os recursos públicos, com seriedade e compromisso.

 

Uma das questões que você mais debate na CMM é em relação à falta de atuação mais eficiente da prefeitura em relação à saúde pública, que não revela intervenção prioritária do governo, principalmente quando se trata de atendimento nos hospitais públicos. Como um deputado estadual poderia ajudar o município a resolver de forma mais direta essas questões na área de saúde que tanto afligem a população de Marabá?

A nível estadual vou batalhar para que os espaços de saúde sob a coordenação do governo do estado sejam ampliados.  Cito como exemplo o Hospital Regional, onde já  avançamos com a recente instalação de um setor de hemodinâmica cardíaca. As pessoas de Marabá que precisavam fazer um cateterismo precisavam ir para Belém ou outras capitais.  Com isso vamos reduzir as mortes com problemas do coração.

Está previsto para ser instalado ainda este ano o centro de oncologia.  É um sonho da nossa população. Centenas de pessoas que precisavam buscar tratamento fora poderão ser tratadas aqui. Ficarão mais próximos de suas famílias. Vai ser bom para todos. Vou acompanhar de perto esta importante iniciativa do governo do estado para Marabá e região.

Outra inciativa importante que vou acompanhar como deputado estadual é implantação do centro de especialidades, cuja obra já está licitada para ser construída no terreno onde funcionava a SESPA na Cidade Nova.   Serão dezenas especialidades de exames médicos e diagnósticos abrangendo vários problemas de saúde. Isto vai ajudar a desafogar o hospital regional e municipal.

Outra bandeira que vou defender é a criação de um hospital Regional Infantil.  O Hospital Materno Infantil de Marabá não comporta mais o atendimento do município e da região. Portanto, é urgente um ter um hospital regional para dar segurança de partos e atendimento digno para as mães e os bebes.

 

Caso eleito, seu mandato de deputado estadual poderia olhar com mais atenção a questão do transporte público do município, um dos piores existentes na região Norte – embora o assunto seja quase que estritamente da área municipal?

O transporte público é um problema que já se arrasta há mais de vinte anos. A população cresceu e planejamento de mobilidade urbana não acompanhou a expansão da cidade. A concessão pública do transporte coletivo de ônibus é muito bonita no papel.  O contrato prevê muitos ónibus com ar condicionado, linhas novas, ônibus cumprindo os horários nas rotas, tudo acompanhado por um aplicativo que cada passageiro tem no celular. Como disse tudo no papel.  Sempre denunciei o mau serviço do transporte público.  A câmara municipal já investigou com uma CPI.  Eu já encaminhei denúncia para o Ministério Público, mas o prefeito faz de conta que o problema não existe.  O que falta é gestão e decisão politica para resolver o problema. O prefeito não coloca o transporte público como prioridade. Quem sofre é a população, principalmente a população mais pobre.  Recentemente fez um novo contrato com a empresa atual e assumiu construir um terminal de integração moderno. Iniciou a obra faz dois anos e tá lá no canteiro da VP da Verdes Mares, na Nova Marabá, totalmente parada.  Como deputado estadual vou continuar batalhando para um transporte público de qualidade. Vou conhecer outras experiências e ajudar a população a se mobilizar para garantir seu direito de mobilidade urbana.  Podem contar comigo.

 

Dada a experiência adquirida por você ao longo desses anos exercendo mandato municipal, e ouvindo diariamente a comunidade que mais precisa do serviço, quais seriam as ações na área de saúde a serem implementadas,  como investimento prioritário, para melhorar o atendimento da comunidade?

Eu sempre digo e afirmo que na Saúde de Marabá não falta dinheiro, falta gestão. Falta um bom planejamento criando atendimento de emergência em cada bairro. O Hospital Municipal de Marabá está ultrapassado em termos de infraestrutura e localização.  É urgente criar um hospital Moderno nos Bairros da Cidade Nova e mais um Pronto Socorro na Região do São Felix e Morada Nova.

Temos um problema crônico em Marabá que a morosidade nas cirurgias eletivas.  É triste ver uma pessoa com problemas de pedras na vesícula, um cisto, enfim cirurgias que precisam ser feitas com rapidez para evitar o quadro de saúde da pessoa se agrave. Muitos esperarem meses, muitos  desistem  e saem em busca de atendimento fora.

Uma iniciativa que ajuda diminuir a busca de postos de saúde ou hospitais é o atendimento básico. Hoje o quadro de Agente Comunitário de Endemias- ACE é reduzido.  É preciso cobrir todos os bairros com este trabalho para diagnosticar e principalmente para orientar a população. Outro campo que vem sendo sucateado é o serviço de Agentes Comunitários de Saúde – ACS.  As equipes de saúde da familia devem voltar a funcionar fazendo o acompanhamento familiar é a principal ferramenta para desafogar os hospitais.

Reafirmo, a saúde em Marabá está ruim porque falta planejamento e gestão.

Dinheiro tem!

 

As escolas estaduais no município, grande parte delas, necessitam urgentemente de um up-grade, visto que há anos não ganham melhorias. A Gaspar Viana tem sido reconstruída, e pelo que se vê, será um diferencial em relação ao que era.

Tenho clareza que toda a rede de Ensino Médio do Estado em Marabá e região precisam melhorar. Não podemos negar o esforço do governo do estado em reformar e construir novas escolas. O problema é que o estado passou mais de 20 anos praticamente sem investir em construção de novas escolas.  A Escola Gaspar Viana foi demolida e uma moderna escola deve ser concluída ainda este ano. Mas não basta.   Outros bairros de Marabá, de municípios vizinhos, vilas rurais precisam de novas escolas do Estado ou parcerias para ampliar as escolas em terrenos municipais.  Entendo também que o problema não é só de prédios. Vou lutar para haja novos concursos públicos para professores e serviços de apoio. Precisamos de escolas boas, mas principalmente de um quadro de servidores públicos qualificados e valorizados.

 

Durante toda a greve dos educadores de Marabá reivindicando direitos e melhorias para suas condições de trabalho, você atuou efetivamente em apoio às manifestações, mantendo contatos constantes com sindicatos da classe. Esses contatos de apoio institucional às entidades populares estarão também sua pauta de atuação no parlamento estadual?

Com certeza.  Meu apoio aos servidores públicos e entidades de representação é o resultado de uma atuação parlamentar independente durante três mandatos de vereador. Sempre defendi aquilo que considero justo e verdadeiro. Sempre votei contra, mesmo às vezes sozinho, a retirada de algum direito dos servidores público, seja da educação, saúde, e demais áreas e inclusive de contratados nos processos seletivos.  Considero que a greve é um direito de todos servidores quando não existe diálogo e nem proposta do poder executivo. Foi o que aconteceu em Marabá. Falta dialogar com as categorias. Na véspera de eleição, ai sim, ele gosta de andar nas ruas, nas obras apertando a mão de todo mundo e pedindo voto, mas depois se tranca lá naquela sala da secretaria de obras. Por isso que aconteceu esta última greve dos servidores. Eu não apoiei porque gosto de aparecer, chegar lá de paraquedas e fazer discurso contra o prefeito. Apoiei porque foi um movimento justo, pois sempre estive na defesa dos servidores públicos. Apoiei porque o executivo não gosta de dialogar com os trabalhadores.

Portanto, a minha postura de conduzir um mandato independente, mas com responsabilidade, vai ser também a nossa marca como deputado estadual. Vou sempre me pautar pela defesa dos direitos do nosso povo, dos nossos servidores com base no diálogo e propostas dentro das regras legais e financeiras.  Quero ajudar a buscar saídas. Fiscalizar e apresentar projetos que melhorem ainda mais os serviços públicos do Estado em nosso município e região.