Pra morrer de rir

Publicado em 2 de dezembro de 2008

A frase gargalhável do ano:

                         –  “Eu era candidato, hoje não sou mais, porém, posso ainda voltar a sê-lo até o dia da eleição, que será nesta quarta-feira” (Carlos Xavier, na edição de hoje do DIÁRIO DO PARÁ)

Risível por denunciar sentimento de irritação e surpresa pelo registro de chapa de oposição aos principais comandos do SEBRAE- Pará.

Presidente da Faepa (Federação da Agricultura do Estado do Pará) desde os tempos idos de Fulgênio Batista comandando Cuba, Xavier representa o que há de mais atrasado no setor produtivo paraense. Com o mesmo perfil conservador e refratário a renovação que o caracteriza na direção da federação, o septuagenário pecuarista quer dirigir o SEBRAE.

Preferencialmente, sem que haja oposição.

Prefeito e vice de Marabá, Sebastião Miranda e Ítalo Ipojucan, registraram chapa, ontem, candidatos à Superintendência Executiva e Presidência do Conselho Deliberativo, respectivamente.

Na atual conjuntura do SEBRAE, a maioria das quinze entidades que escolhem seus dirigentes é ligada ao governo do Estado, explicitamente apoiador das candidaturas oposicionistas.