Pra debaixo do tapete?

Publicado em 3 de janeiro de 2011

O papo começou a correr no meio da tarde desta segunda-feira, 3.

Maioria dos vereadores de Marabá estaria propensa a definir o afastamento da vereadora Elka Queiroz (PTB) pelo prazo máximo de 30 dias.

Por mais safadeza e desmantelo com  um bem público paticado pela parlamentar, o espírito de corpo de suas “incelências”  disponibiliza tendência em protegê-la de punição maior.

Por mais a sociedade de Marabá esteja indignada com os atos irresponsáveis da parlamentar tupiniquim, a Douta Casa pensa o contrário.

E como no entorno de toda fumaça há fogo zanzando, o blog passará a cobrar da tal Comissão de Apuração criada para apurar desvio de conduta – formada pelos vereadores Toninha Carvalho (PT), Irismar Sampaio (PR)  e  Leodato Marques (PP) -, maior agilidade nos trabalhos.

Primeiro, nada de levar com  a barriga a conclusão do relatório final.

Segundo, até 60 dias de suspensão do mandato da parlamentar irresponsável, é uma gracinha sem tamanho.

A população de Marabá saberá julgar, diretinho, qualquer arremedo de punição.

O novo presidente da Câmara, Nagib Mutran Neto (PMDB),  tem papel importante nesse processo.

Se recuar, assinará um belíssimo atestado de concordância com o desmantelo.

Outra coisa: o blog começará, a partir de hoje, a fazer contagem vertical dos dias concedidos à Comissão para apurar o que já está desenhado nos quatro cantos: Elka cometeu  quebra de decoro.

———–

Para entender o “Caso Elka”, clique aqui.