Hiroshi Bogéa On line

PPS verticalizado

Faltou complemento à nota de terça-feira, 14, da coluna do pôster no Diário do Pará sobre o bom desempenho do PPS no Sul e Sudeste do Pará, exatamente onde o partido mais cresceu no Estado em número de votos para prefeito e vereador, fato que encheu de entusiasmo o deputado João Salame. A vitória maior foi em Tucuruí, com a conquista da prefeitura por Sancler Ferreira.

Em 2004 o PPS lançou candidatos a prefeito nos municípios de Cumaru do Norte, Goianésia do Pará e São João do Araguaia, somando apenas 1.692. Agora em 2008, a legenda apresentou candidaturas nos municípios de Marabá (João Salame), Tucuruí (Sancler Ferreira), Itupiranga (Neguinho Arruda), Piçarra (Professor Valcemor) e Canaã dos Carajás (Jeová Andrade), totalizando 55.078 votos.

Na disputa por vagas nas câmaras municipais o PPS também se saiu bem na região sul e sudeste do Estado. Em 2004 o partido estava presente nas câmaras de 10 municípios, com 15 vereadores. E saiu do último pleito com 22 vereadores em 18 municípios, com destaque para Marabá, Tucuruí, Redenção, Rondon do Pará, São Félix do Xingu, Tucumã, Goianésia, Itupiranga e Eldorado -, entre outros. Os vereadores eleitos pelo PPS na região totalizaram 5.648 votos em 2004 e 11.265 este ano.

Para o deputado, além dos números demonstrarem inegável crescimento, o mais importante é o salto de qualidade dado pelo partido. “Apresentamos candidaturas a prefeito identificadas com o ideário partidário, que souberam se conduzir com dignidade e correção, levando as propostas do partido para a avaliação popular, obtendo excelentes votações, o que nos indica que estamos no rumo certo”, avalia Salame, apostando também no instituto da fidelidade partidária para que esse crescimento seja sólido. “Acabou a farra do troca-troca de partidos, isso vai fortalecer o trabalho partidário e diminuir sensivelmente a promiscuidade que existia anteriormente”, acredita o deputado.

Post de 

5 Comentários

  1. João Salame

    16 de outubro de 2008 - 04:55 - 4:55
    Reply

    Sem dúvida que a participação do Jordy qualificou a disputa eleitoral na capital e reforçou a presença do PPS como partido propositivo, com idéias importantes para enfrentar o caos de algumas administrações municipais como a de Belém. Também tivemos participações importantes na disputa pelas prefeituras de Canaã dos Carajás, Marabá e várias outras, além de eleger os prefeitos de Tucuruí, Marituba e Pacajás. Em votos para prefeito tivemos mais sufrágios que partidos importantes como o PDT, PSB, PV e PP. Foi um grande avanço que, creio, deve se ampliar nas próximas eleições.

    João Salame

  2. leo vitor

    15 de outubro de 2008 - 15:12 - 15:12
    Reply

    Não podemos deixar de ressaltar também, a grande votação obtida pelo dep. Jordy na disputa da prefeitura de Belém, principalmente se levarmos em conta a falta de recursos e tempo de mídia. O PPS cada vez mais ganha espaço no Estado e se credencia para mais no futuro.

  3. João Salame

    15 de outubro de 2008 - 14:30 - 14:30
    Reply

    Meu caro anônino das 9:31

    É evidente que a concepção de socialismo do PPS é diferente dos partidos citados pro você. Senão não haveria necessidade de nossa existência. Somos herdeiros do PCB, o partidão, que construiu algumas das mais belas e também trágicas páginas da história da esquerda latino-americana.
    Um partido que se modernizou. Que fez uma crítica contundente e profunda aos crimes cometidos pelo stalinismo e os que levou à derrocado do chamado “socialismo real”. Um partido que aposta suas fichas na via democrática, que entende a democracia como um valor universal, fundamental tanto no capitalismo como no socialismo.
    Um partido que esteve à frente da luta pela criação da Petrobrás, pelo direito de voto às mulheres, no combate à ditadura, pela criação do SUS,por colocar a questão ambiental na agenda política, entre tantas outras ações importantes, é um partido sério, que tem buscado dias melhores para nosso povo. Com erros, com posições às vezes equivocadas, mas sem nunca ter se envolvido em episódios lamentáveis como o mensalão, sanguessuga, “cuecão” e tantas outros protagonizados por alguns setores da esquerda. Um partido que teve a coragem de romper com o governo Lula, no auge de sua popularidade, por discordar da continuidade da política econômica herdada de FHC e do balcão de negócios instalado junto ao Congresso Nacional e que redundou no mensalão. Me orgulho, portanto, de fazer parte do PPS e perseguir a formatação de um novo arcabouço teórico e prático na busca por uma sociedade socialista.
    Fraternalmente

    João Salame

  4. Anonymous

    15 de outubro de 2008 - 13:06 - 13:06
    Reply

    Admiro essa garra do Salame que coloca a luta em defesa de Marabá acima da mediocridade de quem nada faz a não ser criticar quem se dispõe a fazer. Salame, acho que é esse o caminho, cara. Acho que há tantos desafios a serem debatidos que não cabe picuínha. Isso é coisa de marica ( nada contra eles). Hiroshi, que tal comentar essa crise econômica que afeta o frigoríofico de de Marabá e parece que o setor siderúrgico também. Há uma luz?

  5. Anonymous

    15 de outubro de 2008 - 12:31 - 12:31
    Reply

    Uma perguntinha para o deputado candidato a prefeito derrotado de Marabá: Que tipo de socialismo defende o PPS? É o mesmo do PT? É o mesmo do PDT? É o mesmo do PSOL? É o mesmo do PC do B?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *