Postura conciliatória do PV consolida união da Terceira Via e põe governo federal na chapa de Salame

Publicado em 30 de junho de 2012

 

 

Na reunião final, realizada na tarde/noite desta sexta-feira, 29, que definiu o nome de Luis Carlos Pies, do PT,  como companheiro de chapa de João Salame (PPS), maioria dos representantes dos oito partidos que integram a Terceira Via esperava um embate entre Dr. Jorge Bichara, do PV, e  o próprio Luiz – pela indicação da candidatura  a vice-prefeito.

Expectativa cresceu a partir do momento em que as lideranças partidárias da 3a Via sabiam de  uma pesquisa encomendada pela direção do Partido Verde, cujo resultado entregue na tarde de sexta-feira  ao presidente do PV, Jorge Bichara, aponta  empate técnico entre Bichara e Luiz Carlos.

Um dos critérios para a definição do nome seria esse, além de outras situações.

Quando a palavra foi concedida a Jorge Bichara, a surpresa.

De cara, o médico disse  “não estou aqui para atrapalhar, mas para somar”, lembrando que desde o início das articulações para a viabilização da terceira via sempre pautou suas intervenções na busca de um consenso em torno de um nome que pudesse competir eleitoralmente e representasse os anseios da população, “que quer mudanças, novas representações e novas propostas de administração” – conforme mostra a pesquisa por ele encomendada.

Também baseado na pesquisa que ele acabara de entregar aos dirigentes do PPS, PMDB, PT, PDT, PMN,  PHS e PSL, Jorge Bichara ressaltou que poderia muito bem exigir espaço na chapa de João Salame, já que ele aparece empatado tecnicamente com Luís Carlos Pies, além de ter uma história  com mais de 30 anos ligado à medicina .  “Mas a pesquisa aponta também que a população de Marabá quer eleger um prefeito aliado ao governo federal, a fim de que muitas obras possam ser deslanchadas na cidade, num momento crucial  pelo qual passamos para definir, de vez, a construção da hidrovia e da Alpa”.

Virando-se para João Salame, o médico presidente do PV disse que abria mão da indicação de seu nome em favor da homologação do PT como  integrante da chapa majoritária. “Dessa forma, agregaremos peso político  à sua candidatura,  já que o  governo federal, através do  Luiz Carlos do Partido dos Trabalhadores, estará representado”.

Nesse momento, João Salame emocionou-se, conforme contam participantes da reunião, chegando a derramar lágrimas, diante da decisão conciliatória de Jorge Bichara. “Você é um gigante, Dr. Jorge, essa sua decisão comprova a sua grandeza de espírito, altivez  e perfil solidário, jamais esquecerei esse momento”, disse João.

A retirada  do nome de Jorge Bichara da disputa pela vice-candidatura a prefeito consolida a unidade da terceira via, além de realçar a maturidade do Partido Verde em participar, com poder de voz e voto,  de todos os momentos de formação do movimento que conseguiu colocar um candidato a prefeito competitivo para enfrentar a candidatura de Sebastião Miranda, antes considerada imbatível, mas que nas recentes pesquisas aparece perdendo preferência junto ao eleitorado, apesar de liderar ainda a tendência de votos.

Jorge Bichara conseguiu elevar expressivamente a força do  Partido Verde  durante as articulações da terceira via, chegando no momento final de definição das convenções partidárias com poder de criar até um embate interno, se assim quisesse, mas optou pela conciliação  – e em resposta às expectativas da população, preocupada em ter um prefeito aliado ao governo federal.

“Com o PT na chapa do Salame, essa parceria será viabilizada. Eu poderia muito bem, na reunião de ontem com os demais partidos, firmar posição pelo meu nome na chapa com o João, mas aí eu estaria  pensando num projeto pessoal, e eu não ajo dessa forma, sempre olho para o coletivo. Marabá passa por um momento difícil, exigindo das pessoas de bem a luta por formação de uma administração pública que transforme nossas atividades econômica, política e administrativa, e só com apoio do governo federal teremos suporte financeiro para resolver nossas demandas, além de viabilizar de vez a Alpa, hidrovia e os projetos de sustentabilidade. E não custa nada lembrar, ainda, que mais de 90% dos investimentos púbicos em Marabá e região são do governo federal”, disse Jorge Bichara, pelo telefone, em conversa com o poster, minutos atrás.