Polícia Civil consegue desvendar mais um crime no Pará: morte de “Diogão” elucidada pouco mais de ano

Depois de elucidar a morte do empresário Edilson Pereira de Sousa, vendedor de joias,   a PC do Pará anunciou que conseguiu prender autor, mandante e  outros acusados no assassinato do empresário do setor de mineração,  Diogo Sampaio de Souza, o “Diogão” – ocorrido no  dia 22 de setembro de 2020.

Diogão foi morto quando se encontrava conversado com amigos na  Avenida Getúlio Vargas, pertinho da orla,em horário de muita movimentação de pessoas no local.

O policial militar Diego Silva dos Santos, que já foi lotado em Marabá até recentemente, está entre os presos em uma operação deflagrada nesta quinta-feira (28) pela Polícia Civil.

Além do policial, mais cinco pessoas estão presas.

Segundo matéria do Correio, assinada pela repórter Luciana Marschall, o crime foi encomendado  por um xará da vítima, Diogo Costa Carvalho (abaixo, fotografado no momento da prisão) , também emoresário do ramo de moneração de manganês.

“Ele é o responsável por ser o autor intelectual do delito em razão de desavenças e disputas por áreas de mineração”, diz texto da repórter.

As investigações identificaram, ainda, que Luís Cláudio de Araújo, cabo da Polícia Militar do Estado do Maranhão, foi o responsável por efetuar o disparo de arma de fogo que ceifou a vida da vítima, mediante a promessa de pagamento de recompensa.

Diego Silva dos Santos, que já serviu a Polícia Militar do Pará, é acusado de ser o responsável por monitorar a vítima e repassar as informações para os executores.

Os outros presos são Carlos Lázaro Paiva Junior, responsável por conseguir o veículo utilizado no crime; Shirliano Graciano de Oliveira, que teria intermediado as negociações entre os executores e o autor intelectual do delito; e Pablo Antônio Alves Rodrigues, que realizou o aluguel do veículo utilizado no crime portando um documento falso, diz o jornal.

Durante a operação Tora Bora, a Divisão de Homicídios da Polícia Civil, com apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) e da Polícia Civil do Estado do Maranhão, cumpriu oito mandados de prisão, sendo sete preventivas e uma temporária. Também foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 3ª Vara Criminal de Marabá.

Ao longo da ação policial, foram apreendidas diversas armas de fogo – pistola glock calibre .40, espingarda calibre 12, revolver calibre 22, pistola PT100 e pistola G2C –, munições, equipamentos eletrônicos documentações e uma quantidade de maconha.

Na foto ao lado, o  policial militar Diego Silva dos Santos que serviu a corporação militar em Marabá.