Piracema registra menos apreensões em 2011

Publicado em 29 de novembro de 2011

 

 

A estratégia de fiscalização da piracema tem coibido de maneira mais eficaz a pesca predatória nos rios da região este ano, especialmente nos principais pontos de pesca onde a parceria Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA) e Ibama montou campana às proximidades para flagrar os infratores. Desta forma, a quantidade de pescado e apetrechos apreendidos até agora está muito aquém daquela registrada no mesmo período do ano passado.

Segundo Paulo Sérgio Souza Almeida, fiscal do Ibama, a piracema está sendo respeitada. Apenas um pequeno percentual, aproximadamente 5%, ainda se arrisca a desrespeitar a legislação. Ele atribui isso à presença frequente dos órgãos fiscalizadores em base fixa no rio.

Paulo Sergio lembra que, durante todo período da piracema de 2010, foram apreendidas cerca de 15 toneladas de pescado e 110 quilômetros de rede de pesca (malhadeiras). O maior volume é sempre nos primeiros meses. Este ano, até agora, foram apreendidas duas toneladas de peixe e aproximadamente oito mil metros de malhadeiras, quantidades bem inferiores à média mensal anterior.

Além do peixe, todos da espécie mapará, os fiscais apreenderam também duas canoas e uma draga de extração mineral. Por conta da fiscalização, em Itupiranga, uma geleira foi autuada e embargada devido à falta de licenciamento. Os proprietários foram convidados a proceder à legalização junto aos órgãos ambientais para reabertura das atividades.

Essa parceria entre o Ibama e Semma poderá ser ampliada com municípios vizinhos, que também são esperados a entrar nessa luta em prol da reprodução das espécies aquáticas. Segundo a coordenação da piracema, toda ajuda é bem-vinda para o combate à pesca predatória, agora mais eficiente porque o pescador é flagrado no momento em que lança as redes na água.

 

Com informação da Secom