PF prende Ferreirinha

Publicado em 10 de dezembro de 2010

Preso pela Polícia Federal, agora de manhã, o presidente do Águia de Marabá, Sebastião Ferreira.

Contra ele, pesam acusações de tráfico de influência e prática de lobby dentro da Sema – Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Prisão de Ferreirinha ocorreu por conta da operação ‘Alvorecer’ da PF (Polícia Federal), desencadeada para combater crimes ambientais.

O ´residente do Águia de Marabá é acusada de fraudar processos ambientais.

Com Ferreirinha, já são quatro os presos pela PF na manhã desta sexta-feira. Três prisões ocorreram em Belém.

Há informações de que a PF tenta prender mais dois servidores da Sema, na capital.

———————–

Atualização às 10:07

À porta da sede da Polícia Federal de Marabá, onde se encontra detido o presidente do Águia,  é intensa a movimentação de pessoas, neste momento.

Além de curiosos diversos, nota-se a presença do técnico do Águia, João Galvão. Conversando com o advogado Quaresma, constituído por Ferreirinha, observa-se o vereador Miguelito Gomes (PP), dirigente da Superintendência de Desenvolvimento Urbano.

Segundo informa ao poster agente da PF, o presidente do Águia teria exercido influência junto à Sema para a aprovação ilegal de  planos de manejo  e de licenças para a exploração de madeira, recebendo por isso elevadas quantias de empresários madeireiros.

———————

atualização às 10:21

Confirmada, também, a prisão do ex-Secretário-Adjunto da Sema, Cláudio Cunha.

A  prisãod ele pela PF ocorreu em Belém, juntamente com a da chefe do Setor de Georreferenciamento, Paula Fernanda Viegas; e a do despachante Corretor da Sema, Wandserson do Egito Sena.

———————

Atualização às 13:30

No final da manhã, agentes da Polícia Federal transferiram  Sebastião Ferreira para as dependências do Creama (Centro de Reabilitação Mariano Antunes).

Em todo o Estado, agentes da PF tentam prender o ex-dirigente sindical Dionísio Gonçalves, que atuou durante alguns anos em Marabá liderando movimentos grevistas de professores. Ele também é acusado de pertencer ao esquema de fraudes detectado dentro da SEMA.

Pelas autoridades, Gonçalves  já é considerado fugitivo de justiça.