Pesquisa: Coronavac, aplicada no Pará, imuniza 14 dias após a segunda dose

Publicado em 9 de abril de 2021

A vacina Coronavac, aplicada em quase 80% do povo paraense,  necessita de 14 dias após a segunda aplicação para garantir mais proteção.

Quem garante esse curto período de imunização  para criar anticorpos é um estudo realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

“A boa notícia é que a Coronavac realmente estimula uma produção robusta de anticorpos neutralizantes na maioria das pessoas. Porém, a importante nota de cautela é que isso acontece apenas depois da segunda dose. Quem tomou uma dose só não deve se sentir protegido porque não está”, explica o imunologista Orlando Ferreira, um dos coordenadores do Laboratório de Virologia Molecular (LVM) da UFRJ.

Os anticorpos neutralizantes atacam diretamente o coronavírus. Os cientistas analisaram a capacidade de neutralização do vírus em 68 pessoas vacinadas. O estudo revelou que 42 dias após a primeira dose (14 depois da segunda) 84% das pessoas apresentaram anticorpos neutralizantes.

O estudo observou que, além da redução de internações, a vacina cumpre o que promete, isto é, defesa na forma de anticorpos. Isso é feito por meio de um teste que detecta especificamente os anticorpos neutralizantes no soro das pessoas vacinadas.

“Todavia, não sabemos quanto tempo esses anticorpos vão durar. Ainda é muito cedo para dizer isso”, acrescenta Ferreira. Apenas com o passar dos meses, os cientistas vão saber por quanto tempo as duas doses da vacina previne contra o vírus.