Pesquisa confirma tendências, mas traz graves distorções

Publicado em 5 de abril de 2012

 

Conforme prometi, a seguir análise que faço sobre os números da pesquisa para a prefeitura de Marabá divulgada no CT:

———————–

 

A pesquisa publicada pelo Jornal Correio do Tocantins nesta quinta-feira sobre as eleições em Marabá confirma as tendências registradas por esse blog: liderança do ex-prefeito e deputado Tião Miranda (PTB) e consolidação do nome do deputado João Salame (PPS) em segundo lugar. Mas traz duas graves distorções em relação às duas pesquisas que o blog teve acesso, realizadas nos últimos dias de março por institutos que conhecem a realidade marabaense, e já trabalham há muitos anos no município, com seus números tendo sido confirmados nas últimas eleições.

 

O Instituto de Mato Grosso contratado pelo CT entrevistou apenas 370 pessoas contra 600 pessoas entrevistadas pelos dois outros institutos, o que já faz aumentar a margem de erro, estranhamente estabelecida em apenas 3,5%. A distorção mais grave, no entanto, é que a pesquisa foi realizada apenas na sede do município, deixando de lado toda a zona rural, que responde hoje por cerca de 20% dos votos dos marabaenses.

 

Ora, é senso comum no meio político marabaense que é justamente na zona rural que Tião Miranda tem maiores dificuldades. Quando prefeito ele raramente ia ao meio rural e pouco investia nessas comunidades. Comenta-se que ele afirma aos seus correligionários que não vale à pena investir na zona rural porque o retorno político é muito pequeno.

 

Nas duas pesquisas que tive acesso, realizada com 600 entrevistados, as principais comunidades da zona rural foram pesquisadas. E nelas Tião Miranda não tem o mesmo desempenho que registra na sede do município. Quando esses votos são computados a média geral do ex-prefeito cai.

 

Não por acaso os seus índices e de seu principal concorrente são ligeiramente diferentes. Na pesquisa do CT Tião emplaca 56% na estimulada. Nas outras duas pesquisas a que tive acesso ele tem um pouco menos que 50%. Já seu principal concorrente, o deputado João Salame, que na pesquisa do CT aparece com 18% na estimulada, nas outras duas tem um pouco mais que 20%. O que diminui significativamente a diferença entre ambos, ainda que Miranda continue liderando de maneira confortável, mas já olhando o crescimento de seu principal concorrente no retrovisor.

 

Por razões óbvias não posso divulgar os números das duas pesquisas, que foram feitas pra consumo interno de empresários e políticos (que não apoiam a candidatura do deputado do PPS, registre-se) e não foram registradas no TRE para divulgação.

 

Nas outras duas pesquisas, no confronto direto entre Miranda e Salame, a diferença é de pouco menos de 20%. Na do CT sequer é colocado o confronto entre o candidato do PTB e o deputado do PPS. No que se refere ao prefeito Maurino Magalhães a pesquisa do CT repete os índices de aprovação e rejeição do prefeito das outras duas, da mesma forma que os demais candidatos, sendo que na do CT há um pequeno crescimento do candidato do PT, Luiz Carlos, em relação às outras duas.

 

Respeitando os critérios adotados pelo contratante da pesquisa, é estranho que essa pesquisa tenha sido realizada apenas com 370 entrevistados e apenas na sede do município, num momento em que a candidatura do deputado Tião Miranda (PTB) dá claras mostras de desgaste (ele já teve 72% das intenções de voto o ano passado em outras pesquisas), ao mesmo tempo em que a candidatura do deputado Salame mostra vigor e crescimento visível em diversas pesquisas. Com o significativo detalhe de que um razoável número de fortes partidos se articula em busca de uma terceira via.

 

Tem a pesquisa o condão de deter a queda de Tião e impedir o crescimento e a fortificação da terceira via? Não acredito. O próprio deputado Salame, na disputa que teve com Maurino nas eleições passadas para prefeito, sentiu na própria carne que pesquisas publicadas com outros intuitos que não sejam o de retratar fielmente a realidade de nada adiantam. À época, uma pesquisa foi divulgada afirmando que existia um empate técnico entre Maurino e Salame, que tinha candidatura patrocinada por Tião Miranda. As urnas demonstraram o contrário. Agora, parece que o deputado do PPS está sofrendo do mesmo mal, ao contrário. Sorte dele, dessa vez, que a vida é mais rica que as engenhosidades praticadas nos bastidores por quem pretende manipular o eleitor de uma ou de outra forma.

 

A pesquisa do CT cumpre um importante papel, por ser a primeira e confirmar a tendência que esse blog antecipou. Mas da mesma forma como procuramos, no limite das determinações legais, informar nosso leitor de forma isenta do que ocorre nos bastidores da política marabaense, cumpre fazer uma leitura crítica dessa primeira amostra publicada sobre o humor do eleitorado da maior cidade do Sul do Pará.