Hiroshi Bogéa On line

Perigo na Pa-150

Em alguns trechos, a rodovia Pa-150 já oferece perigo.

Nem bem as chuvas começaram a cair com maior intensidade,  crateras estão surgindo com muita rapidez.

Consequências?

Registros diários de acidentes de pequenas e médias proporções, por enquanto.

No último sábado, como exemplo, um caminhão boiadeiro capotou espetacularmente, entre Tailândia e Moju. O motorista de um  veículo pequeno trafegando sentido Marabá, ao fazer  manobra de emergência para escapar de um cratera aberta na rodovia, obrigou o condutor do caminhão a desviar do choque inevitável com o carro desgovernador à sua frente.

O caminhão transportando  dezoito  reses de uma fazenda do Sul do Pará, saiu da estrada, capotando várias vezes (foto acima).

Sorte não houve vítimas, nem humanas, muito menos animais.

As dezoito cabeças de gado foram imediatamente retiradas da gaiola, e ficaram ao relento, durante todo o dia, pastando separadas entre si,  numa reserva de capim lateral à pista (foto)

O acidente ocorreu por volta das 7 horas da manhã.

Às 16 horas, quando o poster passava pelo local, havia imensa fila de veículos  na Pa-150, enquanto alguns motoristas com seus carros estacionados na estrada tentavam virar o caminhão acidentado (foto abaixo) sem que até aquele momento aparecesse alguma viatura da Polícia Rodoviária Estadual para orientar o tráfego.

Setran  precisa executar serviços de tapa buracos emergenciais na Pa-150.

Post de 

6 Comentários

  1. Anonymous

    25 de fevereiro de 2011 - 04:11 - 4:11
    Reply

    Hiroshi. Tem um "dito" atingo que: "pau que nasce torno, morre envergado". Não concordo com isso. Porém, a PA-150 nasceu errada, sem planejamento nenhum, é uma estrada perigosa. Prá começo não possui um metro de acostamento, sem falar da falta de manutenção.
    No entanto, justiça se deva fazer que muito recurso financeiro já foi investido para tentar manter no que está, mas é aquele negócio, gasta mal, quando tenta tampar buraco.
    Outra coisa, além do tráfego normal da região, as rodovias são obrigadas a suportar grande número de carretas bi-trem que transportam toneladas de minérios todos os dias, provocando grande desgaste nas rodovias.
    Mas, quem está no govero tem que buscar solução para o problema.
    Inté!!

  2. Hiroshi Bogéa

    22 de fevereiro de 2011 - 12:09 - 12:09
    Reply

    A PA-150 foi federalizada de Marabá a Redenção, passando a chamar-se BR-155. De Moju a Marabá, continua sob responsabilidade do Estado, com a mesma denominação: Pa-150.

  3. Anonymous

    22 de fevereiro de 2011 - 10:58 - 10:58
    Reply

    A estrada não é realmente digna de nenhum elogio,uma vergonha para quem paga dezenas de impostos como nós mas,aqui no Pará,essa estrada PA 150,comparando com nossa malha viária,pode ser considerada "maravilhosa",quem roda em Transamazônica(sei que é BR)sabe disso.Acidentes,em sua grande maioria,evita-se com prudencia no volante,bom senso e não uso de substancias como drogas e álcool.

  4. Anonymous

    22 de fevereiro de 2011 - 10:17 - 10:17
    Reply

    Mas me diga uma coisa: a ropovia PA 150 não teria sido federalizada no ano passado? Se for isso mesmo, então, meu caro, a competência de manuntenção passou a ser do Dnit, ou seja, do Federal. E a fiscalização da Polícia Rodoviária Federal. Por favor: a conferir!

  5. Anonymous

    21 de fevereiro de 2011 - 23:17 - 23:17
    Reply

    Este bucado é velho conhecido de quem trafega diáriamente por este trecho. É vulgarmente chamado de " BURACO DO GANZER"

  6. Anonymous

    21 de fevereiro de 2011 - 23:13 - 23:13
    Reply

    É….Os politicos da região só conhecem a PA 150 pelos ares, do alto de seus aviões.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *