Hiroshi Bogéa On line

Pelos trilhos de Bragança

José Alencar fez descoberta pra lá de interessante, vasculhando o Google. E, de quebra, constrói sugestão a quem gosta de conviver com a natureza.

Uma busca no Google dá conta que existem mais de 44 milhões de páginas na Internet tratando do Caminho de Santiago e apenas 109 mil páginas tratando do Círio de Nazaré.

Essa diferença mede o caminho que precisamos percorrer se quisermos fazer do Círio de Nazaré alguma coisa tão grandiosa quanto o Caminho de Santiago.
Penso que abrir trilhas sobre o leito da antiga Estrada de Ferro de Bragança e por ela fazer peregrinações ou trekking ajudaria bastante a reduzir esse gap. É um caminho relativamente pequeno, pouco mais de duzentos quilômetros, e dá para ser feito em dez dias a pé (eu mesmo já o fiz e relatei dia por dia aqui mesmo). De bicicleta dá para fazer em um dia. De cavalo em cinco dias tranquilamente.

Estou à disposição dos interessados, religiosos ou laicos.
Post de 

3 Comentários

  1. Robson Martins

    31 de março de 2012 - 11:47 - 11:47
    Reply

    Ola Dr. Sou também um apaixonado pela estrada de ferro Belém Bragança e estamos elaborando um projeto que revitalizara este caminho e gostaríamos muito que vc fizesse parte do mesmo!!!aguardo urgente um contato seu ,abraços Robson Martins

    • Hiroshi Bogéa

      31 de março de 2012 - 11:48 - 11:48
      Reply

      Robson, o poster tem imenso interesse em participar desse projeto. Qualque informação mande para o meu emeio: hiroshyb@gmail.com

      abraços

  2. JOSÉ DE ALENCAR

    16 de novembro de 2009 - 11:20 - 11:20
    Reply

    Meu caro Hiroshi,
    Muito obrigado pela repercussão.
    Outro caminho poderia unir Marabá a Belém, com pontos de apoio intermediários. Os caminhos europeus começaram assim, quando a Europa ainda era escassamente urbanizada. O Caminho de Santiago delimitou a expansão árabe na Península Ibérica e por ele entraram as vanguardas culturais (e as tropas romanas e napoleônicas).

Leave a Reply to Robson Martins

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *