Hiroshi Bogéa On line

Pelo “sim”, pelo “não”

 

Tapajônicos residentes em Manaus reuniram-se para discutir ações a favor do Sim, no plebiscito que ocorrerá em 11 de dezembro, no Pará, quando será decidido se o Estado perderá ou não território.

Como o TSE anunciou a validade do voto somente na zona eleitoral dos cadastrados, paraenses residentes em Manaus deverão transferir seus títulos para municípios localizados próximos a capital amazonense.

——————-

Leandro, amigo residente em Santarém, envia ao blog modelo de adesivo criado para a campanha do Sim.

 

Post de 

14 Comentários

  1. Anônimo

    13 de julho de 2011 - 13:16 - 13:16
    Reply

    Alberto Lima,

    Carajás será bom para todos. Imagine o estado do Pará com recursos para cuidar de Ananindeua, que não sabe reciclar o lixo. Estradas para a região do Salgado que não existem. Escolas para a região Guajarina que estão em situação de miséria. Faltam professores e instalações. Há mais de 20 anos que o Estado do Pará não constroi uma escola em Marabá. Todas as escolas do estado funcionam em próprios municipais. Não pagam servente nem vigias. Há 400 anos que o Pará navega pelos seus rios. Belém não dispõem de um termial hidroviário até hoje. A ligação co o Marajó, Breves, Gurupá, Caviana e Mexiana, é deficiente e precário. Afuá tem os menores índices de IDH do Pará. É assolada pela malária todo ano. Pense nisso, vote sim. Esqueça este ranço de “estrangeiros”,deixe de ser xenófobo. Pense nos municípios como Jacareacanga, Castelo dos Sonhos, São Félix do Xingu, Sta.Maria da Barreira, Cachimbo, Placas, Trairão, que não possuem escolas, postos de saúde, hospitais, e, principalmente, estradas. Hoje, O Pará não administra nem a região metropolitana de Belém, afogada em enchentes e baixadas por falta de recursos e gestão.
    Abraços,
    Agenor Garcia.

  2. ALberto Lima

    11 de julho de 2011 - 11:15 - 11:15
    Reply

    Karla, não caia no papo desses estrangeiros fingindo querer desenvolver as respectivas regiões emancipadoras.
    Vc está certa, o que querem é mamar na teta!

  3. Anônimo

    9 de julho de 2011 - 14:11 - 14:11
    Reply

    Karla Maués,

    Exite no sul/sudeste paraense, uma legião de homens e mulheres íntegras e honestas. Não faça tábula rasa de nossa sociedade. Marabá, durante a administração anterior, foi premiada, duas vezes seguidas pelo MEC com a distinção de merenda com a maior qualidade alimentar servida para todos. Isso em disputa com cidades como Curitiba, Florianópolis, Belo Horizonte, Ribeirão Preto e Londrina. Foi uma distinção para todos nós paraenses esta dupla conquista. Na merenda do município, entravam componentes adquiridos por licitação eletrônica e produzidos na região. Mais de 40 mil estudantes foram beneficiados. São números irrefutáveis. Entre o site do MEC e verás.
    Temos sim como administrar a “rés pública”, sabe o que é? E esperamos poder fazer isso, brevemente, em nível de estado. A divisão será melhor para todos. Para Jacareacanga ou Vizeu. Castelo dos Sonhos ou Ananindeua. Marajó e Bareira do Araguaia. Como está hoje, o governo não contribui para o desenvolvimento simultâneo de cidades tão distantes uma da outra. Falta governo aqui e alhures. Veja o IDH das cidades no Salgado e Bragantina. Da Transamazônica ou do Oeste paraense. E pare com esse negócio de “estrangeiros”. Maués, pelo que me consta, são de raízes portuguesas. Ou não?
    Abraços,
    Agenor Garcia
    ( e eu, não me acho. Posso ser encontrado, não me escondo em anonimatos).

  4. Luis Sergio Anders Cavalcante

    9 de julho de 2011 - 12:33 - 12:33
    Reply

    Acho que tem ver com a forma de se olhar. Se com preconceito…..O adesivo, penso, cumpre ao que se propõe. É simples, porém, com conteudo. Aquele da campanha pró Carajás (Carajás, Já…) deveria ser substituido por outro melhor bolado e com outras côres, sugiro. Em 09.07.11, Marabá-PA.

  5. Anônimo

    8 de julho de 2011 - 23:50 - 23:50
    Reply

    Esse negócio de “estrangeiro” é coisa de gente recalcada e que não aceita concorrência. Fica na sua mediocridade e não aceita que outras pessoas de forma competente ocupe o seu lugar. Eu não sou estrangeiro, sou brasileiro e tenho o direito de mora e trabalhar em qualquer canto desse Brasil sem me achar um “estrangeiro”. O único argumento de quem é contra a divisão é esse dos “estrangeiros” puro bairrismo idiota de quem não tem competência e dedicação para ocupar um posto de destaque na sociedade.

  6. Anônimo

    8 de julho de 2011 - 20:17 - 20:17
    Reply

    Esse Agenor que chegou em Marabá e se acha.Ponto prá você Karla Maues,sou de marabá e voto Não!!!! Esses politicos são os mesmos que não querem votar a favor da CPI da ALEPA inclusive um deputado de Marabá amigo intimo de Agenor.Eu sei o que eles querem dividir depois.

  7. Karla Maues

    8 de julho de 2011 - 10:17 - 10:17
    Reply

    Carissimo Agenor, bom dia! Em parte tu tens razão! Ha muito que fazer! Mas quando leio que Maraba, apesar de todos o bilhoes em royaltes que recebe, está na eminência de perder os recursos vindos do FNDE, por desvio de verbas da merenda escolar, conforme materia publicada no Diario do Pará (06.07.2011), me convenso de que nao estamos maduros para esta divisão. O escandalo da ALEPA não deixará pedra sobre pedra. Vai depender da imparcialidade do Tribunal de Contas. O dinheiro que foi roubado, faz agrande falta na nossa saude e educação. Voce tem razao! Mas, e quem vai governar o Tapajos e o Carajas? Se em Marabá, não se consegue administrar sequer a merenda escolar …quanto mais um Estado com toda essa riqueza?!!! Denúncias tb foram feitas contra o Prefeito de Paraupebas e outros. Pense nisso carissimo! Temos muita gente nativa, boa e honesta aqui sim! Porisso, prefiro que um santareno ou marabaense, assuma o govenro do Pará e ai sim… , de posse das verbas ja prometidas e comprometidos com a realidade que tao bem conhecem, consigam reverter esta situação. Por outro lado, não é o tamanho do Estado que define o seu desenvolvimento. É a qualidade de seus representantes fique certo disso! Precisamos aprender a votar antes de nos dividir! Veja o caso do Acre, Macapá, Maranhão, Alagoas, e outros, tão pequenos e tão pobres. Bem, o tempo dirá. A divisão será muuuuuuito boa para “alguns estrangeiros” mas nao para todos com certeza!

  8. anonimo

    7 de julho de 2011 - 12:35 - 12:35
    Reply

    Com um colírio desses, não tem voto NÃO, que resista, agora voto SIM. Vocês queriam que fosse o Paulinho Paiakam?

  9. agenor garcia

    7 de julho de 2011 - 12:32 - 12:32
    Reply

    Karla Maués,

    Um governo que não consegue promover o desenvolvimento da região Guajarina e Salgado, na ilharga de Belém, precisa ser descentralizado. Vai ser bom para todos. O norte ficará com um grande PIB, arrecadação garantida, com mais de 80% do funcionalismo, com menos estrada para cuidar, terá grandes portos. Os tais “aqueles estrangeiros” não são iguais os “aqueles da Assembléia Legislativa”. Pense, Karla. O Estado não construiu uma sala de aula em 20 anos na região da 4ª Unidade Regional de Ensino.A PA-150 nem acostamento tem. A PM inexiste na região. A Cosanpa não atende a demanda.Nenhuma cidade possui esgotamento sanitario. Só temos uma universidade federal. Se não administram nem às vizinhanças de Belém, que dirá Jacareacanga, Castelo dos Sonhos, Santana do Araguaia, São Félix do Xingú, Placas, Cachimbo, Afuá, Soure, Breves. A divisão será bom para todos.
    Agenor Garcia.

  10. George Hamilton Maranhão Alves

    7 de julho de 2011 - 10:20 - 10:20
    Reply

    O objetivo é impactar. Acho que o adesivo cumpre seu papel! Tem um quê de modernidade e contemporeinidade (é assim mesmo?).

  11. ANONIMO

    7 de julho de 2011 - 10:06 - 10:06
    Reply

    Engatinha na capital Belém,com muita simpatia,um acordo entre os pró-Tapajós com a região metropolitana de Belém e circunvizinhança;unidos se tornariam todos pró-Tapajós e contra Carajás. É coisa séria e muito bem aceita por lideranças políticas. Enquanto isso ,a politicalha e pseudo lideranças do Sul e Sudeste do estado,se deitam em incompetencia… Que maravilha… Onze de 12 está bem aí !

  12. Karla Muaés

    6 de julho de 2011 - 21:00 - 21:00
    Reply

    Caríssimos, penso que ainda não estamos maduros pra enfrentar esta separação! Neste momento , em que grandes projetos estão iniciando, ( ou em andamento) , bilhões de reais sendo contingenciados para cá, precisamos primeiro nos fortalecer, estudar, nos qualificar, e assim ocupar cargos que precisam ser nossos, caríssimos. Temos que garantir que esses recursos sejam mesmo liberados pressionando nossos políticos insossos e lentos. Vamos enfrentar esses desafios juntos. Não é fácil competir com pessoas de outros Estados que já estão aptos a assumir cargos que deveriam ser nossos , nativos aqui de Santarém , Altamira, Marabá , Parauapebas e outros. Se dividir , alem de dizimar com o Estado do Pará, com certeza, quem vai assumir o comando dos Estados serão “aqueles estrangeiros”, fique certo disso caríssimo. Portanto, antes de entregar nossas riquezas pra quem não quer desenvolvimento social, e sim político, VOTE NAO PELA DIVISÃO! Tome posse do seu destino e não entregue sua vida nas mãos daqueles que sequer nasceram aqui. Esse adesivo , só demonstra a falta de respeito por nós , tapajônicas. O apelo sexual , lembra do fato que logo no começo ( e durante) da construção da hidrelétrica de Tucuruí, aquela região se tornou o maior foco de prostituição do Brasil, segundo citação do jornalista Lucio Flavio Pinto em entrevista à jornalista Úrsula Vidal . Já começamos mal! Não aceito ser representada por este adesivo . Portanto, pelo sim , pelo NÃO, vote NÂO À VULGARIDADE E À DIVISÃO

  13. CANAENSE

    6 de julho de 2011 - 19:01 - 19:01
    Reply

    PURO MARKETING ELEITOREIRO, A MODELO PARECE ATÉ UMA ÍNDIA TAPAJÔNICA, NÉ!

    SERÁ QUE A MODELO EM TESE, SABE QUE SUA IMAGEM ESTÁ SENDO USADA PARA ESTE FIM?

  14. George Hamilton Maranhão Alves

    6 de julho de 2011 - 14:14 - 14:14
    Reply

    Certamente atingirá a mulherada e a macharada!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *