Pedido de retirada do blog do ar “bomba” na Internet

Publicado em 24 de agosto de 2012

 

 

Twitter e  Facebook estão cuidando de dar visibilidade à representação do candidato Tião Miranda que pede a retirada do blog do ar.

Em menos de 24 horas, mais de 3 mil compartilhamentos  já foram registrados nas duas redes sociais noticiando o fato, com o repiquete de críticas ao candidato da Coligação autora da Representação.

Wilson Rebelo, um dos mais inteligentes blogueiros do Pará.  sediado em nossa terrinha, claro -,  meteu a colher na panela, dando o seu recadinho.

Um dos trechos do post que trata do assunto –  só para aguçar o paladar:  :

 

 

Pergunto então, que tipo de prefeito seria Tião, caso eleito? Sendo ainda candidato, quer tirar blog do ar por conta de uma carta. O que faria então aos desavisados que ousassem criticar sua eventual gestão?

Alguém precisa informar ao candidato de Jatene que não é assim que toca a banda. Bonito seria Tião gastar um pouco de seu vasto conhecimento para refutar, com argumentos e fatos, as críticas que recebeu. Duvido que Hiroshi Bogéa lhe cerceasse o direito de replicar. Estaríamos diante do delicioso exercício do debate franco de ideias e visões de mundo, algo enriquecedor para todos.

Ao contrário, a posição de Tião ao exigir que o blog seja retirado do ar deixa claro um viés preocupante. O candidato surge como alguém com elevada sensibilidade à crítica e sem disposição ao diálogo, avesso à interlocução. E isso não é bom.
Prefeito é aquele que quer cuidar de gente, aquele que se mostra capaz de construir consensos e que não investe na geração de conflitos. É perigoso confundir autoridade, algo bom e necessário, com autoritarismo. Ao homem público não é dado o direito de sentir-se uma estátua, porque, como disse Gorender, “estátuas são, a rigor, irretocáveis”. Tolerar e interiorizar as críticas são posturas mais que necessárias, exigíveis de quem pretende representar uma coletividade, em especial, uma tão complexa quanto esta que conforma Marabá.

Para encerrar, lembro aqui trecho de um voto proferido pelo Ministro Menezes Direito, na Suprema Corte. Disse Sua Excelência ao defender a Liberdade de Expressão que “o preço do silêncio para a saúde institucional dos povos é muito mais alto do que o preço da livre circulação de ideias”.  Que este siga sendo o lema deste País!

Daqui deste bloguinho, a solidariedade ao confrade Hiroshi Bogéa.

 

 

Mas para ler o texto completo de Wilson Rebelo,  melhor dar uma espiadinha lá no próprio blog do  excelente profissional, o  Contraponto., com agradecimento ao apoio do Rebelo.