Hiroshi Bogéa On line

PCCR da Educação pode sofrer doze alterações. Percentuais de promoção vertical devem cair

Alterações dos percentuais de promoção vertical; composição do salário base, hoje com oito níveis, devendo ficar com apenas dois.

Dupla jornada de professores e percentual por qualificação de nível.

Vinculação da qualificação por concurso público; implementação do benefício no exercício financeiro do ano seguinte.

Alteração da base de cálculo para obtenção de gratificação e limitação do número de concessões para aperfeiçoamento.

Suspensão de gratificações específicas e alteração de percentuais de gratificações específicas.

Adicional de tempo de serviço, regido pelo Regime Jurídico Único e em observância a Lei Orgânica do Município, além da revogação do reajuste de vantagem pessoal.

Itens acima fazem parte do bojo de alterações que o prefeito Tião Miranda pretende inserir no Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos servidores municipais da Educação.

Nitroglicerina pura, por suas propriedades explosivas e ação vasodilatadora.

Se conseguir direcionar as alterações propostas, aparecerá dinheiro em caixa para a prefeitura pagar em dia o servidor, manter a máquina administrativa funcionando com serviços básicos e  fazer investimentos.

Caso contrário, a inviabilidade definitiva da gestão pública de Marabá estará consolidada.

Não tem outra saída.

Os doze dispositivos para alteração do atual PCCR começaram a ser discutidos na “Comissão do PCCR”, criada pela Semed, e que tem entre membros, secretários municipais, Sintepp e Câmara Municipal.

 

Post de 

7 Comentários

  1. Cidadã Marabaense

    24 de fevereiro de 2017 - 20:05 - 20:05
    Reply

    Não é fácil abrir mão de alguns direitos, mas há de se pensar no fato de que o profissional sem salário certo, sem investimentos em saúde e uma série de outras coisas também não viverá tranquilamente.
    “De que vale” o profissional se dedicar, melhorar a qualificação e não receber com regularidade por isso? A prefeitura está um caos, a saúde financeira da cidade está um caos… E, infelizmente, a situação não vai ser resolvida fácil.
    O que me parece é que esse PCCR foi aprovado como um plano de eleição de um péssimo governo para a cidade tanto durante o mandato, como as consequências depois. Pensar no futuro ninguém quer, né?

  2. Serv público

    23 de fevereiro de 2017 - 14:36 - 14:36
    Reply

    Pq o prefeito não extingui o cargo de SECRETÁRIO ADJUNTO?
    Pois diminuir o adicional de insalubridade dos servidores da saúde é fácil.
    Quero ver cortar na própria carne,e que tal diminuir os repasses milionários para CMM que aprova tudo que o executivo manda!
    Parabéns CMM que parece ser uma secretaria da prefeitura

  3. Marcelo

    22 de fevereiro de 2017 - 17:25 - 17:25
    Reply

    Lembrando ao digníssimo blogueiro que dinheiro da educação é pra pagar o servidor da educação e não pra fazer asfalto, construir praça, e este blogueiro é detentor deste conhecimento, se caso qualquer gestor municipal remaneje a a verba da educação pra outros fins mesmo que seja em benefício do município, ele será responsabilizado por improbidade administrativa !!!!)
    Saudações ao estimado blogueiro Hiroshi bogea
    Ass. Marcelo

    • Hiroshi Bogea

      22 de fevereiro de 2017 - 22:31 - 22:31
      Reply

      O problema, Marcelo, é que todo o dinheiro que vem do governo federal para pagar a folha da Educação, não está dando conta do recado. A prefeitura, há mais de dois anos, vem completando a folha do setor, cada mês com percentuais maiores que os anteriores. Dinheiro que poderia ir para outras áreas, como melhorar a malha urbana, construir praças, manter o sistema de coleta de lixo funcionando a contento, e por aí vai.

      • Marcelo

        24 de fevereiro de 2017 - 18:35 - 18:35
        Reply

        Eu entendo ! O problema é que a prefeitura tem que fazer a complementação dos 25% mas todo gestor se nega a fazer esse repasse ! Hoje quem paga a educação de Marabá é o governo Federal !

  4. andre lima

    22 de fevereiro de 2017 - 17:24 - 17:24
    Reply

    ta ai o prefeito tião que vcs queriam isso e so o começo ele vai maltratar os servidores de todas as secretarias os de nível fundamental só vai ganhar o minimo e olha la.

  5. Mª DO ESP.STO

    22 de fevereiro de 2017 - 16:24 - 16:24
    Reply

    DE QUE VALE O PROFESSOR E TODOS QUE FAZEM PARTE DA EDUCAÇÃO SE DEDICAR A UMA QUALIFICAÇÃO SE NÃO HÁ APOIO DO EXECUTIVO E DEMAIS MEMBROS QUE ESTÃO Á FRENTE DESSA ADMINISTRAÇÃO SEM UM PENSAMENTO CRITICO PARA A QUALIDADE DO ENSINO NESSE MUNICIPIO E PORQUE NÃO NESSE PAIS. NO GOVERNO FEDERAL ANTERIOR FOI CRIADA UMA LEI QUE DIZIA QUE ATÉ 2007 TODOS DIGO TODOS OS PROFESSORES DEVERIAM ESTAR COM NIVEL SUPERIOR.. E AGORA VEM ESSE GRANDE E BOMBASTICO INCENTIVO AOS EDUCADORES. E NÓS QUE VIVEMOS EM UM PAIS EM QUE TODA ELEIÇÃO TODOS OS POLITICOS PROMETEM MELHORIAS NA EDUCAÇÃO E SAÚDE. E AI ME PERGUNTO: POR QUE ESSA PERSEGUIÇÃO. MEUUUUUUU DEUSSSSSS ESTAMOS TODOS DA EDUCAÇ]ÃO E SAUDE DOENTES E FUTURAMENTE O NOSSO DIAGNÓSTICO SERÁ UM ATESTADO DE ÓBTO. TEMOS CONSCIÊNCIA DE QUE O PAIS ESTA EM CRISE .MAS, POR QUE QUE NÓS TEMOS QUE PAGAR PELO ERRO QUE NÃO COMETEMOS. SE A EDUCAÇÃO E SAÚDE É PRIORIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO SAÚDAVEL E CULTURAL DE UMA NAÇÃO . CHOREI EM SABER QUE SOMOS A MAIORIA DE TRABALHADORES SOFRIDOS E NÃO RECONHECIDOS ESTAMOS BESTIFICADOS COM TAL SITUAÇÃO E ATITUDES DESSES SEM CONSIDERAÇÃO E SEM RESPEITO PELO TRABALHADOR.
    PRONTO FALEI.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *