Hiroshi Bogéa On line

Pau que nasce torto

Cumprindo pena na delegacia de Conceição do Araguaia por latrocínio, Elismar dos Santos recebeu indulto de Natal para permanecer algumas horas ao lado da família.

Nem bem colocou a cabeça à luz do sol, o apenado tomou outra providencia: simulou arma de grosso calibre ao cobrir com pano um pedaço de madeira e foi à luta. O primeiro ônibus interestadual que passou na Pa-150 foi assaltado pelo criminoso.

O poster entende bulhufas de Direito razão maior de evitar emitir pitacos sobre o tema. Mas não deixa de ser intrigante os critérios usados pela Justiça quando define a lista de beneficiários do tal indulto natalino. O rapaz em cena é cumpridor de pena por ter matado alguém, após roubar a vítima. Para qualquer cidadão com o mínimo de entendimento, o cara é, portanto assim, nocivo à sociedade. Mas ganhou o indulto (toma-te!), desmoralizando a Justiça na primeira esquina dobrada.

Intrigante também (por favor, considerem a ignorância do blogger nessas questões jurídicas!) é o benefício da regressão da pena -, perdão, “progressão da pena”. Se o cara é condenado a cumprir 60 anos de cadeia, na verdade ele só terá obrigatoriedade de sofrer 20 anos na penitenciária.

A Justiça, aos olhos deste leigo, nesses casos, condena por ficção.

Ou não?

Peço ajuda aos queridos causídicos (palavrão medonho!!) blogueiros.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *