Pastor racista que quer presidir Comissão dos Direitos Humanos também pratica extorsão

Publicado em 7 de março de 2013

 

 

Em vídeo que circula pelas redes sociais, o pastor Marco Feliciano (PSC-SP), indicado para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, recolhe doações de fiéis da Assembleia de Deus, na Catedral do Avivamento, sua igreja. Feliciano aceita doações de motocicletas, pede cheques, dinheiro e anuncia recompensas divinas. Em determinado momento, com um cartão na mão, ele diz:

– É a última vez que eu falo. Samuel de Souza doou o cartão, mas não doou a senha. Aí não vale. Depois vai pedir o milagre pra Deus e Deus não vai dar e vai falar que Deus é ruim.
Esse criminoso merece é pegar cadeia.

Bandido de altíssima periculosidade!

Assistam o vídeo.

 

———————-

Atualização às 15:37

 

O homofóbico pastor Marco Feliciano foi eleito presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

Esse mesmo que aparece no vídeo extorquindo um cadeirante.

Só falta agora chamar Mussolini e Hitler para assumirem a Comissão de Igualdade Racial.

Putz!!!!

——————-

Atualização às 19:14

 

Pegaram, de novo, o pastor-deputado federal Marco Feliciano de cueca no joelho.

Ele é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de estelionato,  acusado de ter inventado um acidente no Rio de Janeiro para justificar a ausência em evento no Rio Grande do Sul, para o qual já havia recebido cachê, passagens e hospedagem.

A vítima sustenta que, ao faltar ao compromisso, Feliciano optou por receber uma remuneração maior no Rio.

Ou seja, o gabiru não tem biografia: tem ficha corrida.

Leia aqui.