Hiroshi Bogéa On line

Passou da hora

 

O blog sempre apoiou o trabalho da dupla Sebastião Ferreira e João Galvão à frente do Águia de Marabá,  por reconhecer a dedicação de ambos sempre disponibilizada em favor do time nas diversas competições disputadas.

Nos últimos dias, dá para observar o quanto se torna insustentável a manutenção de João Galvão dirigindo o time.

A impressão que se têm é de que o barco chegou numa zona de pedrais sem um canal de tráfego seguro para seguir viagem.

A torcida não o aceita mais, e o clima de hostilidade  ganha contornos perigosos até para os próprios jogadores.

A derrotada de 3 X 1 para o Remo não pode ser colocada como  estopim do rio em cachoeiras. Ela é conseqüência do que já vem acontecendo.

No sábado, quando o poster assistia a um programa de esportes na TV Liberal, e viu aquela imagem do Galvão negando-se a conceder entrevista ao repórter da emissora, deu para perceber o quanto  o treinador chegou ao limite de suas forças psicológicas para suportar a onda.

O mais grave é que a permanência do treinador já está causando mal estar junto a patrocinadores importantes do Águia.

O poster ouviu de duas pessoas que gerenciam recursos de empresas parceiras do time, palavras de insatisfação com o período ladeira abaixo do time,  e da insistência de Galvão permanecer no cargo.

“O Águia precisa ser oxigenado, caso contrário a gente vai tirar nossa marca desse meio”, revelou um dos interlocutores.

Post de 

4 Comentários

  1. Luis Sergio Anders Cavalcante

    18 de abril de 2011 - 17:53 - 17:53
    Reply

    Hiro, assistí ao jogo Águia x Remo. O Galvão foi muito infeliz – prá não usar adjetivo mais pejorativo – nas 2(duas) primeiras substituições (Fabrício por Michel, Torrô por Patrick e só acertou ao colocar Marcelo Dias(atacante) no lugar de Allan quase ao final do jogo. O elenco aguiano é de regular para bom. Só falta um treinador que os utilize com inteligencia, tirando de cada um o “seu melhor”. Exemplo disso é o próprio Thiago Marabá, ídolo no Remo, jogando bem, dispensado por Galvão. As únicas restrições seriam aos veteranos Marquinhos Marabá, Roma e Édcleber(zagueiro já sem “recuperação” no quesito velocidade, levou “um passeio ” literalmente, do velocista Jaílton Paraíba do Remo que fez 2gols no jogo. Os dois primeiros tem cadeira cativa no DM. Talvez, Hiro, como citas, acontecendo pressão por parte de patrocinadores, Ferreirinha mude de ideia. Se continuar insistindo na “blindagem” de Galvão, haveria a solução dos empresarios buscarem outro time da cidade para investimentos com retorno, diferente do Águia atual. Em 18.04.11, Marabá-PA.

  2. VERDADE

    18 de abril de 2011 - 17:47 - 17:47
    Reply

    Galvão e Ferreirinha estão sendo irresponsáveis, pois não conseguem sentir o fundo do posso tocando seus pés,como são orgulhosos não percebem que o maior patrimônio do águia é sua torcida e ainda dizem que a torcida não manda no time, tudo bem então vamos abandonar o estádio enquanto o Galvão estiver no comando do time. Essa é a maior chance que vocês tem para mostrar que o Aguia é muito maior que esse orgulho doentio, pensem grande não se deixem ser levado por um discurso ultrapassado que não empolga a torcida, se vocês de fato amam o águia sejam sábios.
    Ferreirinha você pode até achar que são adversários políticos seus que estão fazendo essa campanha de rejeição ao Galvão é não meu nobre, são pessoas como você que querem ver o Aguia crescer, mas para realmente vermos o águia crescer temos que quebrar esse imperialismo, o absolutismo vivenciado nestes últimos meses demonstra que o águia realmente vai continuar sendo time pequeno. Os erros estratégicos fazem parte de um projeto mas iguinorar a todos como se a torcida fosse apenas massa para arrecadação de fundos, realmente é desconhecer a importância das massas no processo democrático do nosso país. Todos nós sabemos da importância do Galvão para o Aguia e o que ele já fez pelo Aguia mas não existe mas ambiente favorável para ele continuar trabalhando, o maior adversário do Aguia hoje é essa aversão da torcida ao treinador, com a chegada de outro treinador criaria outro clima e assim vocês trariam a torcida de volta ao estádio sendo que este seria o elemento mais importante para o resto do campionato e ainda melhoraria a arrecadação do Aguia. Haaá tava esquecendo e o restante da diretoria do Aguia o que fala? Se é que existem outros diretores nunca escutei falar em nenhum. Por ultimo, alerto também que se continuar assim vamos perder patrocinadores, patrocinador também quer resultado e depois não venham dizer que o torcedor não avisou e que o torcedor só se manifesta no calor da emoção.

  3. Hiroshi Bogéa

    18 de abril de 2011 - 16:25 - 16:25
    Reply

    Comentarista que assina usando pseudônimo VERDADE, favor refazer todo o texto sobre a crise no Águia de Marabá usando palavras maiúsculas e minusculas. O blog tem como regrar recusar comentários escritos todo em caixa alta – só maiúsculo.

  4. ANONIMO

    18 de abril de 2011 - 07:58 - 7:58
    Reply

    Não acho que Galvão sequer seja treinador de futebol,é uma invenção do Ferreirinha;mas colocar a culpa do fracasso nele,tambèm não.O projeto do Águia,só funcionaria se o time tivesse ganho muitos títulos(ganhou NENHUM),pois o clube tem uma miniatura de torcida,não tem nenhuma infraestrutura,e vive à custa dos patrocinadores que mesmo abnegados,querem retono p/seus investimentos,então a diretoria tem que procurar um caminho p/salvar o clube,pois c/a chegada do “MAURINÃO”,deixará de ser o único de Marabá à disputar competições importantes,gente que sabe trabalhar no ramo,empresários competentes,vão entrar em campo,seu Ferreirinha e sua incompetencia,jogaram sozinhos bastante tempo, a mamata vai acabar. Pura incompetencia,tiveram e estão tendo todas as chanches possíveis.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *