Hiroshi Bogéa On line

Pará lidera geração de empregos formais

 

 

Novamente, a exploração da atividade minerária coloca o Pará como o Estado do Norte que mais gerou emprego.

Nota da secretaria de Comunicação do Estado apresenta o resultado de contratações:

——————–

O Pará continua sendo o maior gerador de empregos formais na Região Norte. O saldo de 2012 foi de 37.320 postos de trabalho gerados em todo o Estado, e um recorde no número de admissões, 376.641, o maior desde 1992.

O índice de crescimento no Pará, de 10% na geração de novos postos de trabalho, superou o total da Região Norte, que foi de 8%. Em 2012 foram feitas em todo o Norte, no setor extrativo mineral, 6.857 admissões, contra 4.987 desligamentos, gerando um saldo positivo de 1.870 postos no emprego formal. Do saldo total de postos de trabalhos (1.870) na Região Norte em 2012, cerca de 90% foram gerados no Pará (1.681 postos).

Nos últimos três anos (2010, 2011 e 2012), o Pará gerou aproximadamente 153 mil postos de trabalho, uma média de 51 mil a cada ano. Para 2013, a Seter, o Dieese e as secretarias Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, e de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas) e de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) vão intensificar as ações visando ampliar a geração de emprego, com investimentos na economia e na qualificação profissional.

Saldo positivo – O balanço resulta de uma pesquisa do Observatório do Trabalho – uma parceria da Seter e do Dieese -, e mostra que entre os meses de janeiro e novembro de 2012 houve crescimento do emprego formal em praticamente todo o Estado. No ano passado foram feitas no Pará 376.641 admissões contra 339.321 desligamentos, gerando um saldo positivo de 37.320 postos de trabalho no setor formal da economia, o que representa um crescimento de 5,39%. Este saldo é o quinto maior já verificado, desde a criação do Banco de Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), em 1992.

Em 2012, a maioria dos setores econômicos do Pará apresentou crescimento de empregos formais. O destaque é para o setor da Construção Civil, com saldo positivo de 12.245 postos de trabalho; seguido pelo Comércio, com 11.993 postos; Serviço, com 10.900 postos; Extrativo Mineral, com 1.681 postos, e o setor Agropecuário, com saldo positivo de 1.392 postos de trabalho.

Em 2012, a maioria dos postos de trabalho gerados no Pará (37.320) foi aberta no interior. Do saldo total de empregos neste período, quase 33% foram obtidos na Região Metropolitana de Belém (12.203 postos de trabalho) e 67% (25.117) foram gerados em municípios do interior.

Roberto Sena, supervisor técnico do Dieese-PA, atribuiu o crescimento à qualificação profissional do trabalhador no Estado. “Quando o trabalhador está apto a realizar a função ele se mantém no posto de trabalho, gerando saldo positivo na geração de empregos, e isto tem ocorrido no Pará. Devemos continuar investindo na especialização do trabalhador, para que os índices sejam sempre crescentes”, destacou Roberto Sena.

Mapa – Além de fazer a análise global para todo o Estado, o Mapa do Emprego Formal no Pará também analisa especificamente os 51 municípios com mais de 30 mil habitantes, que correspondem a 36% dos 143 municípios paraenses (ainda não consta da análise o município de Mojuí dos Campos, o mais recente do Estado).

Nos 51 municípios pesquisados e analisados pelo Dieese/PA, foram feitas no ano passado 340.371 admissões contra 305.205 desligamentos, gerando um saldo positivo de 35.486 postos de trabalho. No mesmo período, nos 143 municípios foram feitas 376.641 admissões contra 339.321 desligamentos, com um saldo positivo de 37.320 postos de trabalho – crescimento de 5,39% no emprego formal.

Os 51 municípios do Pará referidos no Mapa são: Abaetetuba, Acará, Alenquer, Almeirim, Altamira, Ananindeua, Augusto Corrêa, Barcarena, Belém, Benevides, Bragança, Breu Branco, Breves, Cametá, Capanema, Capitão Poço, Castanhal, Conceição do Araguaia, Dom Eliseu, Igarapé-Açu, Igarapé-Miri, Irituia, Itaituba, Itupiranga, Jacundá, Juruti, Marabá, Marituba, Moju, Monte Alegre, Novo Repartimento, Óbidos, Oriximiná, Paragominas, Parauapebas, Portel, Redenção, Rondon do Pará, Salinópolis, Santa Izabel do Pará, Santana do Araguaia, Santarém, São Félix do Xingu, São Miguel do Guamá, Tailândia, Tomé-Açu, Tucuruí, Uruará, Vigia, Viseu e Xinguara. (Com informação da SECOM)

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *