Pára com isso, Lula!

Lula agarrou-se tanto a tese de que é imprescindível a participação do PMDB no processo de sua sucessão, com intuito de eleger Dilma Roussef logo no primeiro turno, que estava esquecendo de que o maior eleitor dela (o próprio Lula) não pode sair chamuscado dessa patifaria do Senado.

A mudança de discurso do presidente em relação a José Sarney, começou a ser ensaiada na semana passada, quando o Palácio do Planalto colocou olhos numa pesquisa interna mostrando os efeitos da crise política sobre o governo. A consulta revelou que a blindagem de Sarney não era bem assimilada pela opinião pública e, pior, estava “pegando mal” tanto para Lula como para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, em 2010.