Hiroshi Bogéa On line

País sem memória

Esta placa com texto quase ininteligível marca a inauguração da maior obra de infra-estrutura da rodovia Belém/Brasília, a ponte sobre o rio Tocantins, à altura do município de Estreito, na fronteira do Maranhão com o Tocantins. A obra foi edificada na parte mais estreita do rio, daí o nome da cidade.

Juscelino Kubitschek, presidente da República, esteve no local descerrando a placa que leva seu nome, mas que, infelizmente, por descuido de governadores, prefeitos e vereadores, encontra-se totalmente abandonado. Os gabirus não se preocupam nem em mandar capinar o matagal que cobre o ponto simbólico.

A ponte rodoviaria sobre o Tocantins ganhou outra paralela, a da Estrada de Ferro Norte-Sul.

Post de 

3 Comentários

  1. Flanar

    29 de agosto de 2008 - 16:45 - 16:45
    Reply

    Já passei ao menos 4 vezes por ela. Mas nunca alguém tinha me chamado a atenção para este seu exclusivo ponto de vista.
    Exatamente a delícia do post.
    Abs

  2. Hiroshi Bogéa

    29 de agosto de 2008 - 12:36 - 12:36
    Reply

    Caro Flanar, o incrível, olhando a ponte de pertinho, é avaliar a dimensão visionária de JK, àquela época,rasgando caminhos para não deixar o Norte isolado. Depois dele, apenas Lula a se interessar por nós amazônidas esquecidos. Se passar pela Belém-Brasília, dá uma paradinha na Ponte do Estreito. Sei que sentirás arrepios também.
    Um abraço, parceiro.

  3. Flanar

    28 de agosto de 2008 - 20:26 - 20:26
    Reply

    Bela sequência de fotos, Hiroshi.
    E boa a “pegada” da ponte.
    Abs

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *