Os patos na floresta

Publicado em 22 de fevereiro de 2008

Excerto do post O Haiti não é aqui. Tailândia é aqui, do blogueiro João Lima.

Só nos últimos dois anos o sistema de licenciamento para a extração madeireira passou da ATPF, para o DOF e deste último para o SISFLORA.

Os instrumentos econômicos que financiaram a Amazônia, todavia, jamais se direcionaram à valorização da floresta e tanto menos a tornaram tão competitiva quanto a pecuária e a agricultura, pois jamais ocorreu o financiamento de um único plano de manejo florestal sustentável.

Os poucos FNOs que foram direcionados ao reflorestamento se limitaram basicamente à teca, em frações irrisórias, tanto para gerar material lenhoso estrutural quanto energético.
Agora, com a necessidade de reduzir os índices de desmatamento, se abordam os efeitos, nunca o sistema. Paga o pato quem é usuário e não quem o cria.