Os desafios na formação do novo governo

Publicado em 30 de novembro de 2012

 

 

 

Comentário excerto  do blog  ContrapontoMarabá,  analisa matéria publicada  no blog:

 

 

Comento:

João dedica-se a tarefa que é obviamente exaustiva e mostra-se cauteloso. Tanto cuidado justifica-se plenamente. Desde o processo eleitoral deste ano, Marabá começou a recuperar importância no jogo político paraense. Todos os principais atores que participarão das eleições gerais em 14 estarão de olho no desempenho de João à frente de uma administração devastada pela incompetência gerencial e com as finanças seriamente abaladas.

Uma gestão correta transformará João em protagonista no pleito de 14. Passarão por ele definições importantes como, por exemplo, qual o candidato á Câmara Federal a ser apoiado caso Asdrúbal Bentes não consiga reverter a esdrúxula condenação imposta pelo STF e até mesmo a definição da melhor estratégia da oposição para tentar ganhar o governo do Pará.
 
Porém, antes de qualquer coisa, é preciso que João comprove ser eficiente na gestão de uma cidade complexa.
 
Claro que não há “receita de bolo” capaz de garantir o sucesso de uma gestão. Mas, a melhor forma de ampliar as chances de sucesso é formar uma equipe que seja a síntese do equilíbrio entre competência técnica e capacidade política; uma equipe que contemple os partidos da base, permitindo que participem ativamente da gestão, mas que não seja tutelada pelos partidos. E este é o primeiro desafio de João. A coisa fica um tanto mais complicada quando sabe-se que alguns partidos, ainda que tenham excelentes quadros políticos, não oferecem quadros técnicos qualificados.
 
Por outro lado, João não pode cair na armadilha do mero “loteamento” de cargos.
 
Fazer “loteamento” de cargos é relativamente fácil. Basta nomear os apadrinhados pelos “caciques” de cada partido. O resultado quase sempre é desastroso. Geralmente, formam-se “feudos”, secretarias são transformadas em “patrimônio” de partidos ou pessoas. O desdobramento disso é a desarticulação do governo e, em sua forma mais aguda, incompetência e corrupção.
Por tudo isso, será com redobrada atenção que aguardaremos as nomeações de João, sempre torcendo para que as palavras proféticas do amigo Hiroshi Bogea concretizem-se e “gratas surpresas” constem na lista de João. Competência e habilidade não faltam ao prefeito eleito de Marabá. Um alento para todos, sem dúvida.
 
blog Contraponto é assinado pelo Wilson Rebelo, mestre no manuseio das palavras.