Origem dos sem-tora

Publicado em 19 de novembro de 2010

Anônimo envia informações procedentes sobre os  atos criminosos dos sem-tora de Tailândia, tema recorrente neste blog:

O chefe desta gang tem nome,endereço, CPF e sua “Ficha Suja” foi limpa com as lágrimas dos orfãos e viúvas deste pobre, miserável e prospero município.

Segue a prova dos fatos….

Quadrilha da madeira lucra R$ 90 milhões  www.orm.com.br/ O LIBERAL , Denúncia.

Este é o valor que o grupo criminoso arrecadou com fraudes no Pará

Quatro promotores de justiça do Pará abriram investigação criminal para apurar um esquema de extração ilegal e venda de madeira e carvão em municípios do leste do Estado que tem como sede o município de Tailândia,Para derrubar a floresta e ‘esquentar’ cerca de 120 mil metros cúbicos de madeira ilegal, que teriam gerado R$ 90 milhões para os bolsos da quadrilha, seis projetos de licenciamento ambiental e exploração florestal foram fraudados, no final de 2006, dentro da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).Os projetos fraudulentos, que estavam em nome de quatro pessoas e foram aprovados no tempo recorde de 18 dias, eram de áreas devastadas há mais de 15 anos. A segunda parte do plano foi financiar invasões de terra para a retirada da madeira de áreas onde ainda havia floresta em pé. Os invasores, conhecidos em Tailândia e municípios mais próximos como ‘sem toras’, se encarregaram de fazer o serviço com tratores, motosserras e caminhões das madeireiras.

A partir daí, a madeira passou a ser comercializada à vontade e sem qualquer fiscalização dos órgãos públicos.Um detalhe chama a atenção na fraude: os documentos desapareceram da Sema depois de a madeira ter sido toda extraída e vendida para compradores que a investigação ainda não conseguiu identificar. Os seis projetos fraudulentos estão nos nomes das seguintes pessoas: dois em nome de Guaraci Mendes(GUARÁ) que exerceu cargo na Prefeitura de Tailândia; um em nome de Renato Lima Fialho; um em nome de um irmão da Hígia,mulher do prefeito ‘Macarrão’, José Agobar Frota Neto, e os últimos em nome de Francisco Farias do Nascimento – (Nenen da DANYSAT). (C. M.).

A liberação dos projetos estranhamente coincidiu, com um surto de invasões de terra entre junho e julho de 2007 em Tailândia e municípios vizinhos. Dois exemplos de áreas invadidas foram as fazendas dos empresários Dario Bernardes e Armando Zurita Leão. As invasões teriam sido patrocinadas pelo prefeito ‘Macarrão’.

O empresário Armando Zurita confirmou a O LIBERAL que sua propriedade foi invadida por ‘sem toras’ e teve parte da floresta derrubada. Ele acredita que há muita madeira escondida à espera de oportunidade para ser negociada.