Orações em vão

Publicado em 17 de agosto de 2009

O Paysandu ficou no lugar em que deveria ficar.

Houve muita ilusão, propaganda enganosa e oba-oba desnecessário em torno de um time medíocre.

A imprensa festiva pintou e bordou, falando numa classificação jamais factível.

Os torcedores fanáticos, claro, iludidos pela ovação extemporânea, caíram de novo dos céus prometidos.

Quiseram transformar tradição e história na força propulsora de um time sem atletas qualificados.

Alguns coleguinhas também são responsáveis pela “Tragédia de Juazeiro” .

Aliás, é bom ninguém, agora, culpar Padin Ciço.