“Onda Dr. Veloso” se espalha pela cidade gerando expectativa de votação histórica

O que se ouve nas ruas de Marabá é a seguinte frase:  -“Dessa vez o Dr. Veloso se elegerá deputado federal”.

Independente dos resultados apresentados até agora pelos institutos de pesquisa, revelando que 50% dos eleitores de Marabá já se definiram pelo nome do médico Manoel Veloso, mais conhecido por Dr. Veloso, para deputado federal, à boca-miúda, como se diz, dá para medir essa tendência.

Em qualquer lugar que se converse sobre as eleições de outubro, o nome do médico surge naturalmente.

Claro, essa média da tendência do eleitorado não garante a eleição de Dr. Veloso.

Ele precisa buscar a garantia de uma vaga à Câmara Federal  convencendo eleitores de outros municípios.

Nas contas feitas pelo partido de Dr. Veloso, o PDT, a legenda deverá eleger um parlamentar, e essa disputa da vaga única estaria entre o marabaense, o ex-deputado Giovanni Queiroz e o deputado estadual  Miro Sanova, de Ananindeua.

Ideal seria Veloso obter em Marabá cerca de 70 mil votos, aí a pista para Brasília estaria pavimentada com certa tranquilidade.

O grande problema é que parte do eleitorado ainda não entendeu a importância de Marabá eleger um deputado federal.

Nos períodos em que o município conseguiu eleger seu representante em Brasília, a prefeitura de Marabá recebeu muitos recursos, maioria destinado às áreas de Saúde e Educação.

Quem não se lembra da atuação do saudoso ex-deputado federal Asdrubal Bentes, que destinava recursos através de emendas pessoais, de bancada e ainda cavava  convênios nos ministérios, independente das emendas parlamentares?

E o recente mandato do ex-deputado federal Beto Salame?  Foram mais de R$ 58 milhões que ele destinou para Marabá – em apenas quatro anos?

Pois bem, Marabá não tem um deputado federal, porque nossos eleitores dispersam seus votos em nomes de candidatos aventureiros, que chegam na cidade distribuindo grana na compra de votos.

Ilustres desconhecidos que depois se elegem e raramente aparecem no município.

É possível, sim, eleger um deputado federal apenas com votos de Marabá.

Basta a população querer.

E  entender do retorno que a cidade terá colocando um representante em Brasília.

Uma continha rápida aqui pra vocês.

Nas duas últimas eleições em Marabá,   foram registrados, em média,  20% de abstenção e 10% de votos nulos e válidos.

Num universo de 185 mil eleitores (  número atual de eleitores do município) , perdemos aí 55 mil votos, subtraídos os 30% de perda de votos.

Mas sobraram 130.000 votos válidos.

Imaginem se nesse universo de votos válidos, o eleitor marabaense destinar  70 mil ao candidato genuíno da terra?

Era correr pro abraço, e comemorar.

O município precisa reeditar a vivência dos tempos de representatividade no campo da política.

Eleger um deputado federal da terra, deve ser prioridade na cabeça das pessoas, ignorando totalmente os candidatos  que chegam de fora.

Quem bem já entendeu essa necessidade do município votar no nome que tem maior potencialidade para se eleger deputado federal, é Maria Sinamor Medeiros (foto acima), residente na Folha 18.

Conversando com o blogueiro, à porta de sua casa, ela é clara e firme em sua decisão de votar num candidato de Marabá com maior possibilidade de  obter uma vaga na Câmara Federal.

“Sabe porque eu votarei no Dr. Veloso? Porque ele é de Marabá, conhece nossos problemas, está sempre no meio da gente, ouvindo, resolvendo até problemas nossos na área de Saúde. Em Brasília, tenho absoluta convicção de que teremos um representante fiel, focado em resolver nossos problemas. E aqui na Folha 18, cada dia mais a gente observa que o nome dele é a preferência dos moradores”, disse.

Mais adiante, na mesma rua onde mora Sinamor, outra pessoa vai na mesma linha de raciocínio.

Josialdo Monteiro Lima,  39 anos, diz que sente um pouco de culpa por Marabá não ter conseguido eleger um deputado federal, na eleição passada.

“Não vou mentir. Votei num candidato de Belém que nunca mais voltou aqui, nem para agradecer os votos que teve na cidade. Mas nesta eleição votarei no  Dr. Veloso, porque é uma pessoa do nosso meio, filho de uma família que muito já contribuiu para o desenvolvimento da cidade. Como você disse aí nas explicações, Marabá precisa eleger um deputado federal daqui da cidade, e só quem tem condições de obter muitos votos é ele, porque ando por ai é ouço, todos os dias, as pessoas dizendo que irão votar nele”, explica Josialdo.

Na saída de um órgão público, na Nova Marabá, o blogueiro troca rápida conversa com o cadeirante Félix Ribeiro da Silva (foto acima), pernambucano que mora em Marabá há quinze anos.

“O que eu tenho  a dizer é bem sincero: é uma vergonha Marabá não ter um deputado federal, é uma vergonha. E  é um prejuízo muito grande para o município. Sou pessoa que gosta de ler, estar sempre bem informado, e hoje tenho consciência  do tamanho da perda que o municípi0o sofre em não ter um parlamentar em Brasília. Não temos melhor nome para votar: Dr. Veloso é uma pessoa do bem, um médico preparado e que sempre auxilia as pessoas. Eu votarei nele para deputado federal, bem como lá em casa minha família toda”.