Hiroshi Bogéa On line

Obras no Pará do governo federal são alvo de contra-informação

O ministro Helder Barbalho, da Integração Regional, garante, numa gravação de vídeo nas redes sociais, ter conseguido a liberação da ordem de serviço das obras de pavimentação da BR-308, ligando os municípios de Bragança e Viseu.

Também, as  assessorias do deputado federal Lúcio Vale (PR) e do senador Paulo Rocha, conclamam suas ações na liberação de recursos e da ordem de serviço para início da pavimentação  de 115 quilômetros da BR-308, com reparação de pontes e de acessos às cidades que margeiam a estrada.

Ordem de serviço foi assinada pelo Ministério dos Transportes.

 

Qualquer sinalização de início de alguma obra do governo federal no Estado tem alimentado o ego da classe politica, cada qual instrumentalizando-se como “pai da criança”.

A propósito, dias atrás, o ministro da Integração Regional foi alvo de muitas críticas nas redes sociais por ter registrado, através de vídeo, que teria conseguido a liberação das obras de construção da ponte sobre o rio Araguaia, ligando as cidades de São Geraldo do Araguaia (PA) e Xambioá (TO).

Maioria das crítica a Helder registrava a imprudência dele em omitir, conforme frisaram os posts raivosos, a luta das bancadas federais dos estados do Tocantins e Pará, em busca de recursos para a obra.

Até o nome do ex-deputado federal paraense Giovanni Queiroz foi lembrado como um dos expoentes da luta pela obra.

Pelo andar da carruagem, o trote da tangida será o mesmo, com cada um usando as obras como feudo pessoal.

Alguns parágrafos do texto do release da assessoria do senador Paulo Rocha diz o seguinte:

 

Graças a persistência de Paulo Rocha, ainda como deputado federal, para concretização da obra, aguardada há mais de 40 anos pela população, que trará mais segurança ao tráfego de veículos de carga e de passageiros, além de aproximar os estados Pará e Maranhão, diminuindo em 106 quilômetros a distância entre as capitais, Belém e São Luís (MA).

A pavimentação da BR-308 beneficiará ainda o escoamento da produção e estimulará o desenvolvimento socioeconômico do nordeste do Pará, favorecendo mais de 200 mil pessoas diretamente.

Sob a responsabilidade do DNIT, as obras serão feitas em dois lotes, simultaneamente. O primeiro começará em Viseu em direção a Bragança, e o outro, de Bragança a Viseu, permitindo agilidade na concretização dos trabalhos.

O investimento total para execução do projeto será de R$ 145 milhões. Para o início da operação, ainda neste ano, foram disponibilizados R$ 39 milhões. Para 2017, R$ 19 milhões já foram empenhados, e outros R$ 20 milhões aguardam a aprovação do Congresso Nacional.

Em acordo firmado entre o DNIT e a bancada paraense, as obras promovidas no estado do Pará fazem parte da estratégia para integração da malha rodoviária, fundamental para a alternância do escoamento da produção nacional em direção ao Arco Norte.

A bancada paraense, destinou emendas ao orçamento da União para Instalação Pública de Portos de Pequeno Porte (IP4) de Viseu, onde estão sendo investidos R$ 11 milhões, ao todo o Estado do Pará receberá recursos de mais de R$ 65 milhões, para os portos hidroviários.

Post de 

1 Comentário

  1. Leo

    7 de dezembro de 2016 - 17:14 - 17:14
    Reply

    Eita ministro Zinho que gosta de ser pai só de crianças bonitas kkkk, mais essa que ele quer adotar… zulivre!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *