Aversão às mulheres: Podemos abre processo de expulsão de vereador que chamou jornalista de ‘vagabunda’

Publicado em 20 de fevereiro de 2020

Em nota, assinada pelo presidente do partido e deputado estadual Igor Normando, o Podemos disse que presta total solidariedade à jornalista da Folha de São Paulo Patrícia Campos Mello, além da Vereadora de Belém Nazaré Lima (Psol), ambas atacadas verbalmente pelo vereador Joaquim Campos – garantindo que abriu processo de expulsão do partido,

Para puxar saco daquele que simboliza o maior misógino do país, o presidente Jair Bolsonaro, o vergonhoso vereador de Belém foi a tribuna ecoar impropérios contra a jornalista  Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo , chamando-a de “vagabunda”.

Um um dia antes Patrícia tinha sido alvo  de um ato indecoroso do presidente da República.

É do conhecimento de todos que Bolsonaro atacou a repórter dizendo que ela “queria dar o furo” pra ele.

A frase do despreparado presidente ecoou mundo afora, manchando mais uma vez a imagem do país.

No plenário da Câmara Municipal de Belém, Joaquim Campos – conhecido no vídeo paraense por apresentar um programa policial na RBA da pior qualidade,  usou termos, também de cunho sexual para desqualificar a excelente jornalista da Folha.

O tiro saiu pela boca do prpóprio vereador.

Questão de minutos, uma reação em cadeia de todos os setores da sociedade mostrou a honradez do povo paraense, todos condenando o parlamentar misógino.

Um dos primeiros a se manifestar foi o governador Helder Barbalho, em suas redes sociais.

abaixo, print das publicações de Helder, cuja família é dona do veículo de comunicação para o qual Joaquim trabalha, a RBA.

 

 

A RBA divulgou nota anunciando o afastamento de Joaquim do programa que ele apresentava há mais de dez anos.

 

A jornalista Franssinete Florenzano em seu blog deu ampla cobertura ao ato insano do vereador de Belém.