O dia seguinte

Publicado em 13 de agosto de 2011

 

 

Em duas ocasiões (Aqui e   Aqui), o blog tem alertado para o crescente clima de total beligerância que se estende por todo o Sul e Sudeste do Estado no embalo da campanha pela criação do Estado de Carajás. Depois do plesbiscito, as relações no Pará, entre regiões, não serão as mesmas.

A secessão paraense já é uma realidade, sem retorno.

As redes sociais amanheceram o sábado, 13, repercutindo, negativamemte, o programa Jornal da Dez, da Globo News, levado ao ar na noite de sexta-feira.

Nos  grupos do Facebook pró Carajás e Tapajós,  “tendencioso” e “cheio de preconceitos”, são as expressões mais usadas para definir a mesa de debates promovida pelo canal por assinatura.

Sobrou para a TV Liberal: na visão de um feicista, Eduardo Sobreira, a emissora do grupo ORM é quem mais sofrerá danos financeiros,  caso o Estado de Carajá seja aprovado em todas as instância que ainda restam pela frente.

Vamos ler o que diz o perfil:

 

Precisamos apurar nosso discurso contra a iniciativa da Tv Liberal. É talvez nosso maior obstáculo nesta empreitada. Muito poder de persuação atravéz da audiência da Globo, o Grupo Maiorana, detentor dos direitos de transmissão dos sinais d…a gigante Globo, perderá muito com a divisão. Por isso não quer. Para vcs entenderem como se perde, a partir da criação do novo estado, será tbem dividida esta consessão. Nova empresa aparecerá como permissionária do sinal Globo no novo estado e dificilmente o mesmo grupo domina em 2 estados. Com o novo mercado o preço da propaganda da Tv Liberal cairá (este valor é calculado de acordo com a audiência em numero de lares ou consumidores(IBOPE)) que se chama custo/mil. Como hoje o Carajás só serve para a TV Liberal para agregar valor aos seus preços, e nunca comparece na comunidade de lá com a contrapartida da empresa no desenvolvimento da sociedade regional. Estes empresários (Maiorana) só conseguem enchergar com visão e mente coronelista e usurpadora. No Oeste, Tapajós eles não se importam…tbem a consessão da Globo lá não é deles, portanto lá eles não perderão nada. Para que gastar no Não. VAMOS A LUTA COMPANHEIROS. As pesquisas não captaram ainda o início de mudança de comportamento e pensamento apartir de informações sobre o tema que tem agora mais espaço nos bares, nas empresas, consultórios, repartições públicas, nas rodas de amigos, nas praças enfim no dia a dia das pessoas de Belém. O SIM vai prevalecer. O povo é sábio. Vai entender que é muito melhor para cada um de nós…