O crime que compensa

Publicado em 24 de agosto de 2007

A recente apreensão pelo Ibama de filhotes de jacarés em porto próximo a Tucuruí é apenas um close do estado de depredação do lago formado pela hidrelétrica. Este poster conhece o problema de perto. Os filhotes de jacarés apreendidos pelo menos estão vivos e podem ser reinseridos em seu habitat natural, logicamente sob riscos futuros dos criminosos de plantão.
Existem no Lago de Tucuruí caçadores de jacarés armados até os dentes que saem todas as noites porongando em lanchas. O silêncio da madrugada é cortado frequentemente por tiros ecoando entre matas e águas detonados pelos predadores. Quando o dia amanhece, basta pegar uma embarcação e dar uma breve volta no entorno para constatar o rastro de maldade espalhada. Os criminosos matam os jacarés, tiram a parte da carne que lhes interessa para venda e deixam couro e outros resíduos para trás.
Em muitos casos, ocorre deles atirarem nos animais e não os encontrarem na escuridão. Sob a luz do dia, jacarés amanhecem boiando com marcas de tiros na cabeça ou em outras partes do corpo.
A foto acima foi batida por este poster. É um jacaré de três metros de comprimento morto por caçadores no Lago de Tucuruí.