Hiroshi Bogéa On line

O blog como instrumento de transformação

 

 

Ainda sobre a minha presença no encontro de lideranças comunitárias, em dezembro, no bairro São Miguel da Conquista, uma descoberta prazerosa: a universalização da Internet entre as camadas mais pobres da população e a influência deste blog nas leituras prediletas de quem acessa a Rede.

Sempre que era apresentado aos presentes pela Maria das Dores, a reação dos novos amigos:

 

– É você quem é o Hiroshi Bogéa? Leio todo dia seu blog!

– Tinha vontade de lhe conhecer pessoalmente, adoro seu blog.

 

O HB deixou de ser apenas o jornalista como sempre foi reconhecido, passando a virar referencia da blogosfera entre milhares de abandonados nas áreas suburbanas, nas vilas e distritos fincados nas distâncias geográficas.

Entre participantes do encontro de lideranças comunitárias: trabalhadoras rurais, professores, pequenos comerciantes em distritos do município, agentes de saúde, e por aí vai.

São essas pessoas, no afã da luta por conquistas mais amplas de cidadania, os novos formadores de opinião.

Está chegando ao fim o tempo em que os “formadores de opinião” se originavam basicamente das redações de jornais, das salas de aula da vida urbana, dos escritórios dos profissionais liberais, das universidades, etc.

Dona Joana, lá de Brejo do Meio, trabalhadora rural; o seu Mário, lá das “Quatro Bocas” (distrito de Marabá), dono de pequeno comércio; Marias, Joãos, Josés e Silvas outros chegaram nesse nível de geradores de consciências.

E eles todos têm em comum a vida simples do meio rural, transportadores de dificuldades diversas, parceiros de missões conjugadas às lutas das entidades comunitárias da cidade.

São esses brasileiros, cada dia mais familiarizados com a internet, que leem meu blog e dizem satisfeitos mil por terem me conhecido.

A eles devo compromissos de qualificação da notícia, da informação e da opinião descentralizada.

São eles que passaram a somar, ao lado de milhares de outros leitores, a audiência cada dia mais recorde dos acessos monitorados.

E isso me deixa comovido, no fundo do coração.

Também consciente da responsabilidade crescente de que este sítio passou a ser mais do que um simples espaço de entretenimento, transformando-se, também, em agente transformador.

Dá um orgulho danado, tudo isso.

Post de 

4 Comentários

  1. Saudade de Marabá

    15 de janeiro de 2012 - 16:01 - 16:01
    Reply

    Alô, liberdade
    (Chico Buarque)

    Alô, liberdade
    Desculpa eu vir
    Assim sem avisar
    Mas já era tarde
    E os galos tão
    Cansados de cantar
    Bom dia, alegria
    A minha companhia
    Vai cantar
    Sutil melodia
    Pra te acordar
    Quem vai querer tocar trombeta
    Pem pererém pererém
    Pempem
    Quem vai querer tocar matraca
    Tracatracatraca
    Tracatraca
    Quem vai de flauta e clarineta
    Fi firiri
    Firiri fifi
    Quem é que vai de prato e facaa
    Taca cheque taca
    Chequetaca checá
    Quem vai querer sair da banda
    Pan pararan
    Pararan panpan
    Hoje a banda sairá
    Alô, liberdade
    levante, lava o rosto
    Fica em pé
    Como é, liberdade …
    Vou ter que requentar
    O teu café
    Bom dia, alegria
    A minha companhia
    Vai cantar
    Em doce harmonia
    Pra te alegrar
    Quem vem com a boca no trombone
    Pom pororom
    pororom pompom
    Quem vem com a bossa no pandeiro
    Chá carachá
    Carachá chachá
    E quem toca só toca telefone
    Trim tiririm
    Tiririm trimtrim
    E quem só canta no chuveiro
    Trá tralalá
    Tralalá lalá
    Quem vai querer sair na banda
    Pan panpan
    Hoje a banda sairá
    Laiaralaialaialaiá
    Hoje a banda sairá
    Olá, liberdade!

  2. Anônimo Filho de Marabá

    15 de janeiro de 2012 - 12:34 - 12:34
    Reply

    Hiroshi, serão eles, Joãos, Marias,Josés e Silvas , seguidos pela D. Joana e seu Mário, com o uso desse poder de transformação que é seu(nosso)blog, que haverão de ajudar a mudar os destinos, de nossa querida Marabá(que se encontra no fundo do poço).Hiroshi,parabéns pela audiência!Abs

  3. Abigail

    15 de janeiro de 2012 - 09:14 - 9:14
    Reply

    Nós é que nos orgulhamos de tê-lo como agente de transformação.
    O reconhecimento que está tendo é fruto do seu trabalho sério e comprometido com nossa sociedade.
    De presente, deixo trechos do poema de Thiago de Melo, Estatutos do Homem:

    “Fica decretado que agora vale a verdade,
    agora vale a vida,
    e de mãos dadas
    marcharemos todos pela vida verdadeira.
    (…)

    Parágrafo único:
    O homem confiará no homem
    como um menino confia em outro menino.

    Artigo V

    Fica decretado que os homens
    estão livres do jugo da mentira.
    Nunca mais será preciso usar
    a couraça do silêncio,
    nem a armadura de palavras.
    O homem se sentará à mesa
    com seu olhar limpo,
    porque a verdade passará a ser servida
    antes da sobremesa.”

    Bom ter alguém em quem confiar!!!
    Parabéns Hiroshi.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *