Hiroshi Bogéa On line

O “barraco” do militar

Ursula Hage, leitora do blog, comenta o suposto barraco armado pelo comandante do 23º. Batalhão de Polícia Militar de Parauapebas:

 

É preocupante que uma autoridade responsável por zelar pela ordem e disciplina de seus gerenciados tenha uma postura tão degradante. Tal fato aconteceu num Sítio de um conhecido meu, o Sr. Clayton, ex-funcionário da Vale e que para o seu lazer adquiriu uma chácara na Vila Palmares II. Parecia uma preça de guerra, quando o Comandante Roberto efetuou vários disparos, em função de seu estado de embriaguês. Este fato ocorreu há mais ou menos um mes. Ontem, escutando o programa de meu amigo Demerval, na Arara Azul, divulgou-se que novamente o dito Comandante, novamente movido pela embriaguês promoveu um quebra-quebra no Bar Opção, de meu amigo e trabalhador Willian, chegando a espancar e humilhar um pobre garçon, não satisfeito, ainda efetuou, novamente varios disparos, na mesma madrugada no BAR SPORT CENTER, em frente ao Terminal Rodoviário de Parauapebas. Pelo amor de Deus, como esse Comandante irá lidar com seus Policiais quando estes praticarem algum deslizes, ou será que ele é daqueles: “FAÇA O QUE MANDO, MAS NÃO FAÇA O QUE FAÇO.”

Post de 

7 Comentários

  1. Ainda tem mais!!!

    25 de outubro de 2011 - 14:05 - 14:05
    Reply

    Em 04/03/1997. REPREENSÃO.
    REPREENSÃO: Por ter como Encarregado de uma Sindicância deixada de cumprir normas na esfera de suas atribuições, tanto que deixou de entregar em tempo hábil Sindicância Mandada proceder por este Comando. Incurso nos n°s 7 e12 do Anexo I do Art. 14 com atenuante de n° 2 do Art. 18 e agravante de n° 8 do art. 19. Transgressão Leve. BI N° 002

    2. Em 04/05/1997. REPREENSÃO.
    REPREENSÃO: Por ter quando encarregado de uma sindicância deixado de cumprir normas na esfera de sua atribuições, tanto que deixou de entregar em tempo hábil sindicância mandada proceder por este comando. Transgressão Leve. Em BIR Nº 04 MAR 97

    3. Em 31/03/1998. REPREENSÃO.
    Por ter desobedecido ordem expressa do comandante do 5º BPM, no sentido de mandar fazer a distribuição das etapas de alimentação dos policiais militares desta unidade de serviço no dia 28 do corrente, na VTR 629 do 2º DPC, demonstrando com esse procedimento, desconhecer as normas disciplinares da corporação. Incurso nos nºs 7,16 e 18 do anexo I do Art. 14. Transgressão leve. Fica repreendido. Deixa de ser punido com maior rigor por ter sido a sua primeira falta. Em BIR nº 003/98

    4. Em 31/03/1998. REPREENSÃO.
    REPREENSÃO: Imposta por este comando, por ter desobedecido ordem expressa do comandante do 5º BPM, no sentido de mandar fazer a distribuição das etapas de alimentação dos policiais militares desta unidade de serviço no dia 28 do corrente, na VTR 629 do 2º DPC, demonstrando com esse procedimento desconhecer disciplinares da corporação. Transgressão leve, fica repreendido. Deixa de ser punido com maior rigor por ter sido a sua primeira falta. em BIR Nº 003 de 31 MAR 98

    5. Em 04/10/1999. REPREENSÃO.
    PUNIÇÃO DISCIPLINAR IMPOSTA POR ESTE COMANDO: REPREENSÃO: Por ter deixado de elaborar em tempo hábil a relação de policiais militares aptos a concorrerem ao curso de especialistas, fazendo com que estes militares deixassem de se habilitar ao curso. Incurso nos nºs 07, 18 e 20 do item II do anexo I do Art. 14, com agravante de nº 2 do Art. 19 tudo do RDPM. Transgressão leve. Fica repreendido. EM BIR Nº 015 de 04 OUT 99.

    6. Em 04/10/1999. REPREENSÃO.
    REPREENSÃO: Imposta por este comando, por deixar de elaborar em tempo hábil a relação de policiais militares aptos a concorrerem ao curso de especialistas, fazendo com que estes militares deixassem de ser habilitados ao concurso, transgressão leve. Fica repreendido. em BIR Nº 015 de 04 OUT 99

  2. Dr. Augusto

    20 de outubro de 2011 - 17:57 - 17:57
    Reply

    Ao estudante de direito, tenho certeza que você não sabe o que a Ampla de defesa e o contraditório, então converse com seu professor e também com seu amigo Coronel, “HOJE” corregedor para explicar isso pelo menos!!
    Você sabe qual é o papel da corregedoria?
    Você não pode julga ninguém!
    Será que tudo que falam você vai acreditar?
    Você sabe quem é o Major Junisio, procure saber quem é ele ?
    Esperamos que P2 da policia militar, comece a investigar os militares do 23° BPM, ai estudante ligue para seu amigo coronel, para saber qual e a índole desses militares.
    Ao Dr.Ricardo parabéns pelo comentário, agora esperamos que a corregedoria se manifeste!!

  3. Dr. Ricardo

    24 de agosto de 2011 - 14:01 - 14:01
    Reply

    Já deu pra perceber de que cor é esse blog!

  4. Dr. Ricardo

    24 de agosto de 2011 - 13:59 - 13:59
    Reply

    Acredito que o comentário da Doutora Hage não deve estar refletindo toda a veracidade dos fatos, uma vez que o Tenente Coronel Roberto Coracy é um oficial bastante conceituado dentro da Instituição Polícia Militar do Pará e já esteve a frente de outros batalhões onde inclusive recebeu honras por sua atuação na segurança pública de cidadãos. Agora esperemos que a corregedoria se manifeste!

  5. Pereira

    13 de agosto de 2011 - 15:50 - 15:50
    Reply

    Esse episódio é lamentável até porque o Motorista é um funcionário da Casa Goiás. O motorista foi preso por desacato e resistência à prisão.
    enquanto o correto era o policial militar ser preso por abuso de poder. Devia ser preso por abuso de autoridade que ela quando está faradao acha que tem.

  6. Atila Cezar

    11 de agosto de 2011 - 08:29 - 8:29
    Reply

    Caro hiroshi,

    Ontem em frente ao supermercado valor na folha 27, por volta das 19:00 horas, a policia Militar (TATICO) ao aborda ou sei o que era aquilo uma carreta bi-trem por motivo futil, pois a sua viatura não consequia ultrapasar a carreta. Aplicou por diversas vezes choque no motorista este que ainda estava na cabine do veiculo e que caiu desmaiado no chão onde continuou sendo violentado por chutes e pontapés. As pessoas que virão estas cenas tetaram gravar atraves de celular, mas os militares descontrolados jogaram uma bombam e spray de pimenta, ameaçando quem chegasse perto para ver tal fato. Parece que o tal comandante já passou por Marabá e fez escola por aqui também.

  7. santiago júnior (Acad. Direito)

    11 de agosto de 2011 - 05:45 - 5:45
    Reply

    Relembrando os bons caudilhos, referido oficial se comporta como um “tudo pode”. mas antes de ser exemplo, que este elemento pague pelas munições deflagradas em seus desvarios hormonais. Uma verdadeira falta de respeito com as pessoas de bem e com o erário público. Será que este elemento tem condições em andar armado ? Conheço grandes oficias e praças da Policia militar e que para ganhar a simpatia da população e respeito de seus pares, nunca precisaram sair fazendo disparos contra minhocas na terra ou pássaros no céu. Não se fazem mais oficiais como antigamente. Saudades dos Coronéis Antonio Carlos, Zeno filho, Silva (hj corregedor), Cordeiro e tantos outros que souberam envergar tão respeitável farda.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *