Nova Ipixuna: documento falsificado foi usado pelo ex-prefeito Edison Alvarenga para obter aprovação de contas no TCM

Publicado em 13 de março de 2020

Agora só depende da Câmara Municipal de Nova Ipixuna endossar a imoralidade.

Que já passou pelo Tribunal de Contas dos Municípios, obtendo aval do colegiado, sem que fosse realizado qualquer tipo de exame para checar a autenticidade do documento.

Trocando em miúdos, a população de Nova Ipixuna pode ser submetida a um dos fatos políticos mais vergonhosos desde sua fundação.

A história que o blog começa a contar, a partir de hoje, envolve o envio pelo Tribunal de Contas dos Municípios da prestação de conta da administração de Nova Ipixuna, relativa ao ano de 2008, para julgamento pela Câmara Municipal.

O prefeito em 2008 era Edison Raimundo Alvarenga, hoje no PSD. (foto)

Como bem disse um vereador de Nova Ipixuna, em longa conversa pelo telefone, ontem, com este blogueiro, o  fato não chamaria tanta atenção se não fosse os rumores  de uma possível falsificação da assinatura do ex-prefeito José Pereira de Almeida em um contrato feito pela Prefeitura municipal de Nova Ipixuna com uma empresa  local.

 

 

Ao colocar os olhos no documento obtido pelo blog,  nota-se a grosseira fraude.

Num dos documentos encaminhados por Alvarenga ao TCM, a assinatura do ex-prefeito José de Almeida, popularmente conhecido por “Zezão”, apresenta  grafia diversa de sua assinatura aposta nos demais atos administrativos.

Ou seja, não bate com a assinatura dele (Zezão)  formalizada em cartório.

A diferença dos traços é muito grande.

Pois bem,  a Câmara Municipal mesmo alertada sobre a possível fraude, tem parte de seus vereadores fazendo vista grossa, com intenção de aprovar a documentação falsificada.

A presidência da Câmara Municipal de Nova Ipixuna está sob o comando do Partido dos Trabalhadores, representado pela vereadora Doralice  de Almeida Amaral (foto)

A partir deste post, o blog iniciará uma série de reportagens mostrando toda a história, publicando documentos, inclusive  a assinatura falsificada  do ex-prefeito Zezão.

Neste sábado, a segunda matéria divulgará nome de  empresa privada envolvida na fraude, pedido de revisão à procuradora do TCM, Marta Inez de Mendonça Gueiros,  da prestação de contas primeiramente reprovada, e os primeiros prints de documentos obtidos pelo blogueiro no Tribunal de Contas dos Municípios.

O blgueiro aguarda até segunda-feira o envio, pela Divisão de Repressão à Corrupção e Desvio de Recursos Públicos, do pedido de instauração de Procedimento Investigatório, feito pela prefeitura de Nova Ipixuna,  para comprovação da materialidade e autoria dos delitos  –  bem como para o consequente indiciamento dos responsáveis.

Esse documento será publicado.

Bem como, também, na sequencia da série de reportagens, publicaremos cópia da Ata Notarial confeccionada pelo Notário do 1º Tabelionato de Nota de Marabá-PA que atesta, após uma analise aguçada, a discrepância entre a legítima assinatura do ex-gestor  Zezão e a assinatura aposta no  contrato encaminhado ao TCM.

Decididamente, a população de Nova Ipixuna não merece passar por uma situação tão vexatória como a que se descortina.