Nota de O Liberal causa alvoroço na UFPA

Publicado em 4 de novembro de 2014

 

Duas notas no Repórter 70, coluna do jornal O Liberal, domingo (2), casou alvoroço na Academia.

Bastou o jornal circular, para se estabelecer o estado de fofoco no seio da Universidade Federal do Pará.

Print da publicação:

Puty

Puty 2

 

Prevendo os efeitos danosos que a “nota” causaria no seio da comunidade acadêmica, rápido no gatilho, o deputado federal Claudio Puty (PT) tratou de desmenti-la, questionando os objetivos da publicação.

Puty 3

 

Mas já era tarde.

O zumzumzum impacientou professores e a própria  Reitoria, considerando a extemporaneidade do processo eleitoral,

Um dos mais respeitados professores da UFPA, Flavio  Nassar, reagiu com indignação em seu Facebook, publicando post intitulado “Péssima notícia para a UFPA: deputado quer ser Reitor”.

 

PÉSSIMA NOTÍCIA PARA A UFPA DEPUTADO QUER SER REITOR

O Deputado Federal Puty anunciou pela principal coluna política do Liberal, do qual é colaborador semanal, que será candidato a reitor da UFPA na próxima eleição em 2016. Logo não há que duvidar, trata-se de um balão de ensaio, devidamente plantado com o intuído de, tendo destaque privilegiado, avaliar a repercussão. Se é para ouvir opinião, lá vai a minha.

# Primeiramente foi uma GROSSEIRIA, um PÉSSIMO EXEMPLO DE CONDUTA POLÍTICA, até DESLEALDADE, com o reitor Carlos Maneschy que soube, como todo mundo, pelos jornais. Maneschy tem sido irrepreensível ao manter uma postura supra-partidária, padrão que deveria ser observado na instituição acadêmica para poder abrigar o ambiente mais favorável para à livre manifestação de pensamento. Sem nunca ter deixado de dar aos parlamentares oriundos da casa ou àqueles comprometidos com a temática da Educação, como é o caso dos deputados Puty e Nilson Pinto; Arnaldo Jordy e Ana Júlia.

Não ter comunicado ao atual ocupante do posto a decisão foi uma INTOLERÁVEL DESELEGÂNCIA.

## Em segundo lugar, além de desleal e deselegante a atitude extemporânea, ABRE O PROCESSO SUCESSÓRIO PREMATURAMENTE, quando a atual gestão cumpriu apenas um ano e meio de seu mandato.

Não fosse a indelicadeza acima referida, reconheço que o Professor Cláudio Puty tem o direito de candidatar-se – recentemente até candidatos iletrados tem-se dado sonhar com a borla e o capelo reitorais – mas desde que sua pretensão fosse expressa no momento adequado. Abrir agora o processo sucessório é PRESTAR UM DESSERVIÇO À COMUNIDADE ACADÊMICA DA UFPA, que precisa de paz e tranquilidade para consolidar as reformulações e adaptações que este momento virtuoso da Educação Superior no Brasil vem proporcionando.

Campanha agora, no pós-eleição, quando os ânimos estão acirrados, polarizados DEMOSTRA TOTAL DESCOMPROMISSO COM A UNIVERSIDADE ENQUANTO ESPAÇO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E TROCAS DE CONHECIMENTOS E SABERES e a reduz a mero trampolim/palanque para alçar novos vôos políticos, governo do estado, prefeitura de Belém.

##‪#‎TERCEIRO, além de mau educado, inoportuno o fato de já vir carimbada com o apoio do futuro senador Paulo Rocha, e da minha querida Ana Júlia, já confere ao lançamento da candidatura aquele ar de ARROGÂNCIA das imposições CHAPA BRANCA e já um convite ao fisiologismo.

As eleições para reitor vão ocorrer nas proximidades das municipais, temos muitos professores na capital e no interior que aspiram carreiras políticas, veradores, prefeitos, cargos no executivo municipal, a presença de um candidato a reitor na UFPA que ao mesmo tempo é líder de um partido político que detém o poder federal vai compuscar, desequilibrar, todas as relações no seio da UFPA.

São de triste lembrança os tempos em que o poder Político se sobrepôs ao Acadêmico nas universidades brasileiras, no período da ditadura militar e lamentavelmente no Pará na primeira abertura, quando o PT governou junto com Zé Lourenço e Nilson Pinto, nestes tristes tempos que nos deram para viver, implantou-se respectivamente o Populismo e a Demogogia como prática predominante nas relações políticas.

Com o poder que foi dado aos sindicatos e entidades estudantis, correias de transmissão da ideologia partidária, na base do é dando que se recebe, desfigurou-se de tal forma a Academia, que para recolocá-la nos trilhos da MERITOCRACIA, nem o mandato de Cristovam Diniz, os dois de Alex Fiuza e até agora o segundo de Carlos Maneschy foram ainda suficientes.

RETOMAR ESTE PROCESSO DE PARTIDARIZAÇÃO DA UNIVERSIDADE SERIA UM CRIME DE LESA PÁTRIA, quer queira ou não queira a candidatura Cláudio Puty.

#### Quarto o estrago já esta feito, não adiam desmentidos, desmentidos de políticos equivalem a confirmação, nem papos tipo: meu nome está à disposição da comunidade para avaliar se posso contribuir ou não….blá, blá, blá, blá, blá

Para evitar rótulos declarei meus votos aqui e reitero agora.

Dilma 13

Jatene 45

Paulo Rocha 13

Ana Júlia 13

Hildegardo 45

 

No mesmo post do professor, Cláudio Puty esclareceu mais uma vez não ter nada a ver com a responsabilidade imposta a ele pelo jornal O Liberal.

Puty 5