Hiroshi Bogéa On line

No meio da arena

André Farias não refugou diante do considerável público participante do XII Encontro Paraense de Geografia, realizado domingo, 28, no auditório do Centro Universitário de Parauapebas. Encarou na boa o debate sobre a criação do Estado do Carajás, defendendo com argumentos técnicos a manutenção territorial do Pará. Foi incisivo ao apontar a falta de políticas públicas como fonte de origem da ideia separatista, fato que tem empurrado o governo Ana Júlia a consolidar as doze regiões de integração “em substituição ao modelo de governo que tratava a política regional em bases setoriais”.

O secretário Estadual de Integração Regional encarou o debate com performance convincente.

Post de 

8 Comentários

  1. Anonymous

    4 de julho de 2009 - 02:52 - 2:52
    Reply

    Tomara que esse anônimo das 1:02 AM, Julho 01, 2009 caia dentro de um dos buracos que a cosanpa anda furando pela VP 8 .
    Nós sonhamos com estado do Carajás porque não queremos o PSDB de volta no governo e infelizmente no cenário político paraense estamos sem opçao.
    Carajás já!
    E LULA GOVERNADOR DO CARAJÀS.
    E deixa o Sarney no Amapá e Ana Júlia no Pará.

  2. Anonymous

    2 de julho de 2009 - 22:15 - 22:15
    Reply

    É por isso que o governo ANA é esse sucesso total. Com André Farias sendo um dos dois "melhores" secretários. Imaginem os dois "piores"?

  3. Anonymous

    2 de julho de 2009 - 16:38 - 16:38
    Reply

    É, a cegueira não tem limites. O que se tem de ações da COSANPA em Marabá só é visto por quem não quer

  4. Anonymous

    1 de julho de 2009 - 04:02 - 4:02
    Reply

    O nosso anônimo das 9:11 não anda por Marabá. O Centro de Convenções não existe e não saiu do papel. O Centro Tecnológico talvez nem o secretário saiba onde fica. A drenagem citada deve ser só isso: "vai ser discutidada com a comunidade". A Cosanpa tem placas de obras fincadas a três anos e até agora nenhum buraco furado. Por enquanto, nada! A obra do Cabelo Seco é verdade. Está sendo tocada desde que o governo começou, a passos de tartaruga. Mas, pelo que eu tô vendo, o Navegapará que funciona na beira do rio não consegue propiciar o envio dessas notícias para o núcleo de governo que continua dizendo para a governadora que ela está bem, mas não é o que a gente ouve em todos os lugares. Mas não é novidade, todos os governso agem assim em relação a região. Muito lari-lari e pouca realização. Carajás, já!

  5. Anonymous

    1 de julho de 2009 - 03:17 - 3:17
    Reply

    Migalhas, somente migalhas para o Sul e Sudeste paraense.

  6. www.ribamarribeirojunior.blogspot.com

    1 de julho de 2009 - 03:01 - 3:01
    Reply

    O secretário também na titubou e anúnciou a doação de 48 hectares (doado por um empresário de Marabá) para construção da futura UNIVERISADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ.

    Essa Leolar eimmm!!!!

  7. Anonymous

    1 de julho de 2009 - 00:11 - 0:11
    Reply

    André Farias está, sem dúvida, entre os dois melhores secretários de estado.
    Infelizmente, poucos são os secretários que assimilaram a política de integração que ele idealizou e tenta implantar no Estado.
    Dizer que esse governo não tem política públicas para as regiões de integração é desconhecer a realidade. Basta abrir os jornais e ver os anúncios de obras estruturantes a serem deflagradas em vários municípios paraenses.
    Não apenas obras, mas ações como regularização fundiária, que tem efeitos bastante positivo na vida dos brasileiros.
    E o que dizer do Navegapará?
    PAC da Cosanpa é uma realidade.
    PAC do Cabelo Seco e do Tucunduba, também.
    Que tal o Centro tecnológico em Marabá e o Centro de Convenções, também na terra de Francisco Coelho?
    Ainda em Marabá, a SEcretária da SEDURB, Suely Oliveira, fez recentemente uma audiência pública para discutir com a comunidade interessada o projeto de drenagem em vias que vão da avenida do Aeroporto e chega à avenida Paraíso, atravessando 5 bairros, obra de mais de 7 milhões de reais.
    Não são obrinhas eleitoreiras, mas obras que preparam o Estado e as regiões de integração para o verdadeiro desenvolvimento, o desenvolvimento sustentável, inclusivo dos que estiveram historicamente apartados dos processos de crescimento capitaneados por governos anteriores.

  8. Anonymous

    30 de junho de 2009 - 19:21 - 19:21
    Reply

    O governo Ana Julia não conseguiu nem se consolidar imagina consolidar as 12 regiões. Este é sempre o papo de quem é contra a divisão: a falta de politicas publicas que nem um governo faz e este não está fazendo também.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *