Nem B, nem C

Publicado em 5 de novembro de 2009

Essa aqui é nova em folha.

Há preocupações dentro da Vale quanto a possibilidade do Ministério Público Federal empanar a trajetória do processo de desapropriação da área do Distrito Industrial III de Marabá, para onde está projetada a construção da siderúrgica Alpa e, com isso, furar o calendário de ações elaborado pela mineradora para dar início às obras da usina ainda no Governo Lula.

Para não perder o time, especula-se que a Vale estaria trabalhando um Plano B, avaliando a possibilidade de levar o investimento para Barcarena, e tocar as obras dentro do prazo prometido à Presidência da República.

Esse babado já chegou ao conhecimento da Associação Comercial de Marabá, via disse me disse, que não foi levado a sério.

Diretores da ACIM entendem que a Vale e o Governo do Estado, diante de tantos recursos já empregados em estudos e no pagamento de alguns donos de lotes da área escolhida, além dos investimentos do governo federal para viabilizar a Hidrovia do Tocantins, com a inauguração das eclusas marcada para o primeiro trimestre de 2010, têm como resolver as pendências sem pensar em alternativa B.