Hiroshi Bogéa On line

Nem as fortes chuvas param serviços na PA-150

Durante cerca de 20 dias, o blogueiro percorreu diversas regiões do Pará, checando o volume de obras do governo do Estado na recuperação de rodovias.

Hoje, a saga nas estradas paraenses chega ao final com o relato de  suas condições no  Sudeste e Sul do Pará.

A Setran fez uma divisão em dois trechos das equipes que trabalham na reconstrução da principal via de escoamento, localizada na região de Carajás: a rodovia PA-150.

De Moju a Goianésia, são exatos 167 km.

Faça chuva ou sol,  os equipamentos com grupos de  trabalhadores atuando em tapa-buracos e trocando extensos trecho de pano asfáltico -, marcam a passagem de condutores pela PA-150  contemplando os benefícios da recuperação da estrada.

Izaias Madruga (foto abaixo), motorista de São Paulo que cruza a Pa-150 a cada quinze dias, dirigindo uma carreta bitrem, com passagem  por Conceição do Araguaia com destino  a Belém, garante que nunca passou pela estrada, neste período do ano, para se deparar com tantas equipes  de construtora trabalhando na melhoria da malha rodoviária.

-“Eu estou muito satisfeito com o que estou vendo, porque jamais vi tantas equipes recuperando esta rodovia. As ondulações de Marabá a Nova Ipixuna praticamente acabaram. Isto é sinal de que o Pará agora tem governo”, elogia o profissional do volante.

Residente em Nova Ipixuna, o comerciante André Soares (foto abaixo) relata que diariamente faz o percurso até Marabá, numa extensão de 50 km,  para tratar de negócios.

Com os serviços de recuperação da rodovia, garante que já sente seus efeitos positivos.

-“Antes, eu gastava cerca de uma hora e quinze minutos até Marabá, e atualmente já consigo fazer em 40 minutos sem correria. As ondulações diminuíram quase 50% e a qualidade da recuperação do asfalto é muito boa” diz.

Pela primeira vez em pleno inverno, está sendo possível trafegar pela estrada sem sentir os efeitos perigosos das buraqueiras que sempre marcaram a pista, causando acidentes e, em alguns casos, mortes.

No atual estágio dos serviços executados, é perfeitamente possível fazer o trecho de Moju a Goianésia em total segurança, observando as equipes trabalhando em diversos pontos.

Quem constata a transformação, para melhor,  da rodovia –  é José Loureiro Maia, dono de um restaurante em Goianésia.

Ao lado da esposa, Maia (foto abaixo) conversou com o blogueiro, garantindo que pelo menos duas vezes por semana pega a Pa-150 em direção a Tailândia.

 

-“Hoje dá para perceber que a estrada está bem melhor, mesmo sabendo que os serviços começaram não faz muito tempo. Tomara que todo o trecho de Goianésia até Moju,  seja mesmo recuperada, porque aí estaremos contemplados com uma rodovia segura”, disse.

Em seu pior trecho, entre Marabá e Jacundá, a Pa-150 melhorou consideravelmente, com a malha rodoviária sendo recuperada em tempo ininterrupto.

As  profundas ondulações na pista foram corrigidas em trechos importantes da estrada.

De Marabá a Nova Ipixuna, num total de 50 km, muitos trechos do asfalto já foram trabalhados.

A Setran vai recuperar o segundo lote, entre Marabá e Goianésia numa extensão de 165 Km.

O motorista de caminhão Roberto Chagas Silva, nascido em Fortaleza, disse se espantou quando entrou na PA-150 no início deste ano, constatando  a celeridade dos serviços de recuperação.

-“Eu conheço essas estradas do Brasil quase todas, e a rodovia PA-150 sempre foi uma que eu paguei pecados devido sua falta de conservação. Esses serviços que estão sendo feitos em pleno inverno é uma ação  pioneira que nos enche de contentamento”, disse.

Roberto Chagas Silva: “Esses serviços me deixam cheio de contentamento”
Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *