Hiroshi Bogéa On line

Navegar é preciso, sim

Cada vez mais países se aproximam entre si através de acordos de cooperação para o desenvolvimento das Artes, Cultura, Ciência, Tecnologia e Comércio. No Brasil, esse tipo de intercâmbio ganhou impulso nos Estados do Sul, principalmente a partir de Porto Alegre, Paraná e Florionópolises, desde o ano 2.000, resultando na troca de experiências e conquista de linhas de financiamentos para diversos programas sociais.

Depois, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Bahia, entraram na ciranda.

No Pará, não se sabe motivado pelo temor do patrulhamento antropofágico ou pela própria falta de perspectiva de oportunidades, essa prática ainda é tímida. Secretários do governo Ana Julia precisam avançar nessa direção, manter pulsação com secretários de governos externos na busca de várias frentes de acordos de cooperação.

A exposição de artesanato e jóias paraenses, na Itália, no segundo semestre de 2008, é um bom exemplo de como isso pontua ações positivas.

Post de 

2 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    8 de fevereiro de 2008 - 13:37 - 13:37
    Reply

    Bicho, com lirismo ou sem, confesso que não entendi nada – seu comentário.
    Eh eh

  2. Anonymous

    7 de fevereiro de 2008 - 18:06 - 18:06
    Reply

    Bicho, com todo o respeito ao lirismo presente em sua escrita , ainda prefiro um Hiro menos metafórico , mais literal com uma pitada de malandragem. Aí não tem pra ninguém.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *